Sobre Clauder Arcanjo

Clauder Arcanjo é escritor, membro da Academia de Letras do Brasil. Autor das obras Licânia, Novenário de espinhos, Uma garça no asfalto, Cambono, O Fantasma de Licânia, entre outras.

Um fim sem fim

Apesar de todas as notícias falsas plantadas pelos negacionistas, a população de Licânia acorreu às filas de vacinação. Para aqueles assustados pela possível presença do Fantasma de Licânia, a vacina foi à casa deles.
Um detalhe interessante: o companheiro Acácio se

O Fantasma voltou!

Quando correu pela província a notícia de que o Fantasma de Licânia estava de volta, o pânico se instalou.
— O Fantasma voltou!
“Meu Deus, além da peste, teremos que nos ver com o Fantasma!”, lamentavam os licanienses.
A partir de

E finalmente o Lau?

O bichano Nabuco, Companheiro Acácio e eu, mergulhados em elucubrações, ficamos sem nada fazer; melhor, sem nada tramar, por mais de quinze dias. “Laborando no oco do vazio”, como bem definiria o nosso proto–filósofo de Licânia, João Américo.
De repente ouvimos

E o Lau? CLAUDER ARCANJO

— E o Companheiro Acácio, por onde ele se enfiou, Clauder Arcanjo? — indaga-me o amigo Osvaldo Araújo — Não me diga que ele abandonou a trama que traz o nome dele no título: A Razão de Acácio! — espeta-me, Osvaldo.
Cabisbaixo,

A Promessa do Lau – CLAUDER ARCANJO

Enquanto tudo corria bem na Fazenda Eldorado, rebatizada como o Instituto Butantan de Licânia, o Peditão resolveu incrementar o tratamento contra o coronavírus, incluindo pimenta e canela nos barris de canaquina.
Poucos dias depois o João Américo protestou, alegando uma reação