Árvore mística e eterna,Sei que sabes mais que euA História dessa gente fraterna,Que ao teu lado padeceu.Árvore amiga e sincera,Que nesta tarde, ao teu lado passoE nestes versos de quimera,Contemplo a tua beleza e o meu cansaço.Somos irmãos, árvore amiga,Em

Como ocorreria a outros tantos intelectuais e artistas, entre 1964 e 1985, período em que durou a ditadura militar, Caetano Veloso não raro seria considerado de esquerda pelos conservadores, e de direita pelos militantes da esquerda. Incompreendido, jamais abriria mão

Era início da década de 1980. Eu integrava o elenco da peça A Noite Seca, de Geraldo Markan, com direção de Guaracy Rodrigues. Interpretava o Pe. Hipólito, Fernando Piancó o outro. No hall de entrada do Theatro José de Alencar, protestávamos

“Da então exportação de couro à atual de carnes, quatro séculos se passaram, mantida a mesma lógica mercantil, agora sobre fundamentos capitalistas: uma produção exportadora com base na grande exploração de terras, desmatando-as, empobrecendo-as, até mesmo esgotando-as, pela monocultura; mantendo,

O Brasil assiste a um bate-boca perigoso, com epicentro na presidência da República, sobre a legitimidade e segurança do sistema eleitoral vigente, mormente no que diz respeito à tecnologia para a captação e apuração de votos. Ao longo de duas