Sobre Carlinhos Perdigao

Carlinhos Perdigão é arte-educador, músico, produtor cultural, professor de língua portuguesa da Faculdade Plus e da UNIQ – Faculdade de Quixeramobim. É autor do livro “Fragmentos: poemas e ensaios” e do disco “Palavra”. Tem formação em Letras e Administração, com pós-graduação em Gestão Escolar. E-mail: [email protected] Site: carlinhosperdigao.com.br

UM QUILOMBO CHAMADO BRASIL

Certa ocasião, o cantor e compositor Belchior afirmou, em entrevista para a revista cultural cearense intitulada O Saco, que o mundo precisava de mais libertação e de menos teologia. Portanto, a sustentação que tal afirmativa encerra diz respeito a um

POEMA DE MIM… :CORAGEM

E aqui estou eu…
Em um papel, não de carne e osso…
Coração a mil…
Tristemente maravilhado…
Soluçando
Sol procurando
Trabalhando letras
Trabalhando palavras
Entregue, entregue, entregue…
Feito papel, coração frágil
Tentando buscar a mim mesmo…
Qual José Drummoniano:
Onde?

Aço em pedaços
Vagando sem pés
Vagando sem chão
Vagando sem céu
Vagando coração
Relembrando Pessoa
Relembrando pessoas
Relembrando poesias
Relembrando

SOBRE ESCRITOS E EPIFANIAS

“Catar feijão se limita com escrever”, já acentuou João Cabral de Melo Neto (1920 – 1999). A metáfora presente neste verso do poema Catar Feijão, do escritor e diplomata nascido em Pernambuco, sugere a construção bem planejada de um texto:

UM BATERISTA E O CCBNB

Anos 90. Era uma vez um baterista ávido por descobrir o mundo. Os jornais noticiam a inauguração de um centro cultural no centro de Fortaleza. Surpresa! Que lugar é esse? Como contribuirá para o intercâmbio entre público e artistas? Estará