Sobre Arnaldo Santos

Arnaldo Santos é jornalista, sociólogo, doutor em Ciencia Política, pela Universidade Nova de Lisboa. É pesquisador do Laboratório de Estudos da Pobreza – LEP/CAEN/UFC, e do Observatório do Federalismo Brasileiro. Como sociólogo e pesquisador da história política do Ceará, publicou vários livros na área de política, e de economia, dentre eles - Mudancismo e Social Democracia - Impeachment, Ascenção e Queda de um Presidente - sobre o ex-Presidente Collor, em 2010, pela Cia. do Livro. - Micro Crédito e Desenvolvimento Regional, - BNB – 60 Anos de Desenvolvimento - Esses dois últimos, em co-autoria com Francisco Goes. ​Arnaldo Santos é membro da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo – ACLJ, e da Sociedade Internacional de História do século XVIII com sede em Lisboa.

O ATROFIO DA POLÍTICA

Na antessala de mais uma eleição para renovar o Congresso Nacional, escolher os governadores e o próximo Presidente da República, procedemos a esse breve comentário, com o objetivo de chamar atenção para os vários panoramas político-eleitorais ora articulados, sem, no

Gênese da Corrupção

Nesses tempos de trevas, embrutecimento e negacionismo, gênese do bolsonarismo, tenho dedicado parte do meu tempo a estudar e pesquisar sobre a natureza da corrupção, tentando compreender a formação da corruptopatia!
O objetivo é assimilar a compulsão sem limites, bem assim

Tancredo//[email protected]

Meu caro Ulysses, cumprimentando-o pelo seus 105 anos (1916/2021), transcorridos no ano findo, e ignorados nesses tempos de negação dos mais elementares valores civilizatórios, rendo-lhe as minhas singelas homenagens, já me desculpando por não ter lhe preparado uma recepção como

CIDADANIA: DIREITOS E DEVERES

À extensão da história, as democracias das nações mais desenvolvidas se modernizaram paulatinamente e incorporaram múltiplos valores, objetivando a ampliação das garantias e dos direitos do cidadão, para o fortalecimento e a consolidação do que conhecemos hoje como cidadania, no

PATUSCADA E MENTIRAS EM NOVA YORK

Não é ocioso repetir o fato de que, na política brasileira, quase sempre, a mentira comanda o espetáculo, pois, historicamente, abstraindo as exceções que confirmam a regra, em sua maioria, os atores políticos protagonistas dessa trama, além de charlatães no

AS PRAGAS DOS MIL DIAS!

No dia 26 do mês em curso, o atual desgoverno completa mil dias, com um resultado que se traduz em verdadeiras pragas para a população e o País. São estas, por exemplo, as constantes ameaças à democracia, com bravatas autoritárias,