Tudo sobre: Cultura

CHICO BUARQUE FAZ 80 ANOS

Toda unanimidade é burra.
(Nelson Rodrigues)
Polímata. S.m. Do grego polymathós, aquele que sabe muitas coisas. O vocábulo, por força da genialidade de Leonardo Da Vinci, passou a ser usado como sinônimo de “mulher ou homem do Renascimento”, isto é, aquela ou

IA / INTELIGÊNCIAS

Para sentir, você para
Chega perto, toca, coisa rara
Não é crochê ou tricô
Mas é mesmo um primor
Esse mármore de Carrara
Aquele que esculpiu
Em matéria dura e fria
A beleza em demasia
Não, não, nunca mentiu
Será que olhou a vozinha
Fazendo arte com linha
E amoleceu

CABELO/CABELIN/CABELÃO

Meu cabelo verde
Vem ver de perto
É certo ou errado?
É feio ou diferente
Esquisito ou engraçado
O cabelo é meu
E de mais ninguém !
Venha vê-lo
Em qualquer cabeça
Pode cabe-lo!
Você também pode fazê-lo
Com zelo, com desvelo
Eu pinto de qualquer cor
Assim como o meu amor
Pinte

TEMPINHO

O tempo revela, releva, e traz
Mas pode levar
Explica, replica, implica e pode complicar
O tempo transforma, conforma
E pode deformar
O tempo é têmpora, tempera, e pode destemperar
O tempo une, reúne, aproxima
E pode distanciar
O tempo prende, apreende, compreende, empreende, e pode
Desprender
O tempo

PRAÇAS

Uma Maria na Praça
Muitas dão o ar da graça
Dou graças a Deus
Peço uma graça à Maria
Que nos dê força e energia
Pra gritar com alegria
Ave Maria cheia de graças
Fora Lira e seus comparsas!
Lutar pela vida é sempre!
Por isso vamos pra rua
Toda

EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO

“Tenho medo do homem de um livro só.” A máxima é de São Tomás de Aquino, e a tomo no sentido pleno da metáfora, pelo que diz sobre a necessidade de termos da vida uma visão ampliada, uma compreensão holística

EM FRENTE

A desigualdade é violenta
E vem matando lenta, lenta, lentamente
De um lado, mansão, do outro não tem casa, não.
De um lado carne de ouro
De outro lado, osso duro
O homicídio é lento, o mal trato disfarçado, silenciado, negado.
Falta emprego para os

Romeu e Julieta

Claudia Zogheib
Do belo ao trágico, da vida à morte,
da paz à guerra, do egoísmo à empatia.
A paixão é sem dúvida um afeto de extremos.
O amor não se propõe a responder,
mas sustenta e movimenta os afetos
 em direção ao outro e para