Tudo sobre: Cultura

ABRAÇO

O que cabe num abraço
É o tempo do instante
Momento de terna idade
Daquilo que é constante
De fulgaz felicidade
40 anos distante
E apenas num instante
O tempo desaparece
Quase nada se esquece
No momento de abraçar
Movimento de viver
Move todo o sentir
O que dá sentido

ENCANTO

De onde eles vem
Tem samba
De onde eles vem
Tem Bamba
Alegria e dor
Tem cor, tambor
Também tem flor
O que me toca
É o toque de encanto
É todo pranto transformado
Em dança,
Seja como for
O que me faz feliz
É o choro da esperança
Que me diz

JECAS E PERIS

Vira e mexe, leio ou ouço falar em “complexo do vira-latas”. Muitas vezes, num vezo que é bem brasileiro, usa-se a expressão sem o pleno domínio do seu significado. Coisa da onda, um tipo de modismo que não raro leva

SÍSIFO

Em trabalharmos esperamos
Que os dias sejam curtos
E que sejam eternos
Os domingos
Que não duram mais que os outros dias
Que apenas anunciam o retorno
Em trabalharmos contamos
As horas os dias as semanas
Como se o fim de um mês concluísse junto um ciclo
Como se

CHORO

De tantos ritmos
Guardo no íntimo
Carinhoso
Meu saudoso Pizinguin
De choro leve
Tão leve que a vida breve
Fica eterna
Terna no seu Chorinho
Valioso
Eu choro, tu choras,
Eles choram
É tudo lindo
Amores afloram
Num choro infindo
Vem chorar junto comigo
Querido amigo
Diz que sim! Diz!
E só assim então
Serei feliz !
Bem

LUZ

Já vem amanhecendo o dia
Vem a mãe e sendo o dia
Amanhecer
A mãe é ser
A Mãe é ser o dia !
Ensolarado de alegria
Pura energia!
12/05/2024
Dora de Paula

AMOR FATI

Há no samba um amor fati
Um carinho amargo maturado
Por aquilo que é como é
Ainda que não tenham lido
Nietzsche
(Que é difícil crer que soubesse dançar
Mesmo uma valsa)
E nem falem latim
Há no samba um amor fati
Marítimo e telúrico
Um apego desesperador
Às razões misteriosas
Do

DESOLAÇÃO

Havia água no meio do caminho
Havia água por todo lado
Meu coração desolado
Mágoa deságua
O cavalo sobre um metal
Um pedaço de teto ?
O próximo instante é o final?
Pode ser fatal
Meu coração desaba
Deságua letal
O cavalo espera
Quimera
A mãe, o filho, o mundo espera
A

GOSTO SE DISCUTE, SIM

Do professor, vira e mexe, alguém quer saber: “Afinal, gosto se discute?” A questão, de aparência tão simples, exige cuidados, nomeadamente para quem, como eu, dedicou seus dias a falar prioritariamente da Arte.
Antes da resposta, precipitação a que me recuso