Bíblias e fuzis, por Renato Ângelo

  1. Uma nação que se divide
    Estando sempre por um triz
    Para ocultar o entreguismo
    Nos deram bíblias e fuzis

    As famílias, em conflito, estando
    Entre pautas identitárias
    E mais um cadáver negro e pobre
    Sob palanques e bandeiras partidárias

    Vivendo com surtados do Evangelistão
    Esse não é o país que eu quis
    Exorcizaram a coerência
    Sob bíblias e fuzis

    Se a liberdade morre
    Não se dando nome aos bois
    Melhor é não calar agora
    Que, então, chorar depois

    Nessa ordem invertida
    Rogo sempre à minha filha
    “Te cuide do canto da sereia!”
    Que nos transmite fuzil e bíblia

    Se eu fosse escrever
    Uma carta testamento
    A meu filho lhe diria:
    – sê esperto, tome tento!

    Na tua mesa, tens veneno
    Triste emenda de parlamentares vis
    Adoecemos o corpo pensando n´alma
    Comendo bíblias e fuzis

    Saqueados e invadidos
    Fomos sempre hoje e ontem
    Com o erro néscio e claro
    De calar quando convém

    Professores sem salário
    Sufocados pelo giz
    Padecem agora, solitários
    Sob bíblias e fuzis

    Tinta e bits seduzindo
    Com moralismos de fachada
    E a lavagem de dinheiro
    Agora foi sacralizada

    Mulher com rosto em sangue
    Por marido, o soldado, vis-à-vis
    Na garganta, túmulo-dignidade
    Sarando peias à bíblias e fuzis

    Não me oponho à palavra
    Não me tomem assim ligeiro
    Mas o ouro venceu o livro
    E esqueceram o mensageiro

    Povo tangido como gado
    Pescoço ferido por canzis
    Tem seu grito sufocado
    Pelas bíblias e fuzis

    Na ânsia de ativismo
    Às ruas foram, tomaram praças
    Falso discurso legalista
    Corroído pelas traças

    E você, leitor, acorda tarde
    Em manhã escura e gris
    A nação ensandecida
    Seguindo bíblias e fuzis

    Uma lei que não é lei
    Um supremo acovardado
    Somos só índios desnudos
    Sem terreno demarcado

    O que devia unir, divide
    Nos opondo em mais Brasis
    Da democracia o algoz ovacionado
    Carrega bíblias e fuzis!

Renato Angelo

Renato Angelo

Mestre em políticas públicas, professor universitário, pesquisador, poeta e contista

Mais do autor

4 comentários

  1. Avatar

    Klycia Fontenele Oliveira

    Se não fosse a tragédia anunciada, daria eu felicitações por este poema denúncia… De todo modo, muito bom ler uma crítica tão poética!