Tancredo//[email protected]

Meu caro Ulysses, cumprimentando-o pelo seus 105 anos (1916/2021), transcorridos no ano findo, e ignorados nesses tempos de negação dos mais elementares valores civilizatórios, rendo-lhe as minhas singelas homenagens, já me desculpando por não ter lhe preparado uma recepção como você mereceria, pois, na vastidão celestial, às vezes nos perdemos nos ritos inerentes ao transcendente.

No descanso que imaginei, eterno, de paz inquebrantável, e do qual nunca seria interrompido, a não ser para participar das merecidas homenagens, devidas a um querido amigo, ou para contemplar a sublime beleza da aurora boreal, que daqui é ainda mais encantadora, eis que, nos últimos tempos, tenho sido espiritualmente atormentado pelas denúncias de corrupção política e da pandemia em terras brasileiras.

O grau dos escândalos que me têm chegado é de tal grandeza que, em tempos de sociedade em rede, no dizer do sociólogo Manuel Castells, (aqui já estamos conectados), tive que requerer uma senha especial ao Conselho Superior Celestial, para poder acessar o servidor e o aplicativo de Engenharia Midiática, na busca por informações que me ajudassem a entender melhor os fatos que me foram ‘delatados’ – digo, relatados.

É consabido que, com a chegada do Steve Jobs, já temos Wi-Fi por aqui, através da rede “celestial-transcendente.ceu”, que ele criou. Em breve teremos conexão por ondas sensoriais de altíssima velocidade,-(5G+), de sorte que, assim, estaremos permanentemente conectados com a vida na Terra, para sabermos das peraltices praticadas pelo atual “presiMente” da República, e pelo 01,02 e 03, com suas usinas de fake news!

Superadas as dificuldades de conexão (a banda aqui também ainda não é das melhores – Steve garante que o problema é do servidor, por isso já trabalha no desenvolvimento de um, servidor dedicado), fui consultar meus arquivos políticos; e olha, Ulysses, meu velho amigo, mesmo entre aqueles mais sombrios e impublicáveis, não encontrei paralelo na história, diante do que fui informado, sobre o que vem acontecendo no atual governo.

Os vídeos que recebi pelo WhatsApp, onde vários depoentes da CPI, da Covid, narram a engenharia corrupto-financeira, no processo da aquisição de vacinas, montada dentro do Ministério da Saúde, me deu a impressão se tratar de um departamento de “operações estruturadas”, no modelo da que foi criada pelo Emílio e seu filho, na Odebrecht, durante os escândalos da Petrobras. De tão graves, causaram blackout nas comunicações celestiais, perturbando e interrompendo a paz, que vivenciamos no descanso eterno. O pior foi constatar o cinismo de alguns senadores na defesa do governo; um verdadeiro escárnio para com a sociedade, diante dos mais de 615 mil mortos pela Covid, e a desídia do governo.

Caro Ulysses, embora saiba que já há algum tempo você também goza do repouso no plano espiritual, resolvi consultá-lo, através dessa missiva digital, pois imagino que também esteja conectado à rede “celestial de computadores”, e com uma melhor conexão através dos cabos submarinos, e, portanto, mais bem informado sobre os fatos. O que me diz, velho companheiro?

Caro Tancredo, que alegria ter notícias suas, especialmente no transcorrer dos meus 105 anos, só lembrados pelo velho amigo e companheiro de luta. Estamos, sim, conectados, inclusive a esse tal de WhatsApp, onde participo de dezenas de grupos, a que fui adicionado sem que eu saiba por quem. O último ao qual me adicionaram foi criado por um tal de Queiroz, que vim a saber por um blog local, muito acessado aqui, especializado na disseminação de mentiras, agora apelidadas de fake news, tratar-se de um ex-assessor do “presiMente” da República, e do seu filho, senador Flavio Bolsonaro, responsável pela arrecadação de uma tal de rachadinha. Soube, inclusive, que estão construindo a “bozo’s penitenciária”, para receber os envolvidos, detentores do chamado foro privilegiado, integrantes da primeira família. Veja a que nível degradante chegou a política no atual governo!

Tancredo, amigo, como bom mineiro que você é, e tendo participado ativamente dos momentos mais importantes e difíceis da história política do País, se avexe não! Estou tão surpreso e decepcionado quanto você; mas, se posso lhe transmitir alguma palavra de conforto que apascente sua alma, lhe asseguro que o impacto dessas denúncias foi de tal ordem que quase me fizeram emergir do fundo do mar de Angra, tamanha é a degenerescência, moral e ética, que se abateu sobre a política, na realidade em curso.

O mais degradante meu caro Tancredo, é constatar que não são fatos isolados envolvendo apenas o meu partido (PMDB), que, antes de tudo o que está acontecendo, teve até o Michel na Presidência da República, (dizem que foi um golpe), e logo que deixou a Presidência também foi preso por envolvimento em um esquema de corrupção patrocinado pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, dois conhecidos açougueiros, patrocinadores da chamada República dos Embutidos. O PSDB, o PDT, o PT e o DEM – para citar os de maior visibilidade – e a quase totalidade dos partidos, e dos nossos ex-correligionários, inclusive seu sobrinho, estão todos denunciados na lista do Fachin, no STF.

Meu sobrinho! Ulysses, o que ele tem a ver com isso? Até onde estou informado depois da minha transcendência, ele ocupou bem o espaço político que construímos em Minas, e no País. Soube que se elegeu deputado federal, governador e senador, inclusive tendo disputado uma eleição para a Presidência da República. Fiquei até muito orgulhoso ao saber da sua atuação política.

É, meu caro Tancredo, vejo que a conexão de rede do sistema que você utiliza deve ter ficado fora do ar nos últimos tempos, impedindo que você se informasse sobre os fatos geradores da crise que sacudiu a República. Seu sobrinho praticou várias peraltices, tanto no Governo de Minas, como no Senado, e durante a campanha para Presidente. Foi, inclusive, denunciado por crime de caixa-dois, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, envolvendo a Andrea Neves, sua irmã, que teve prisão decretada juntamente com o seu primo. Atualmente, ele está em permanente articulação com o velho “centrão”, em apoio ao presiMente Jair Bolsonaro. Você acredita!

Meu velho Tancredo, a República está em frangalhos, e o negócio do seu sobrinho Aécio, assim como da quase totalidade dos partidos e dos políticos envolvidos, inclusive os filhos do presiMente, é muito maior e mais sofisticado.

Lembra-se de quando éramos deputados e o Lula uma vez disse que, na Câmara, havia trezentos picaretas? Forçoso é admitir que ele tinha razão, mas, depois que se elegeu Presidente, o seu governo também foi denunciado de montar uma grande arquitetura de corrupção, envolvendo, não apenas, trezentos, mas quase quinhentos picaretas.

Pois é, meu velho amigo, as denúncias que tanto perturbam sua paz de espírito decorrem do fato de que, nos dois governos anteriores ao atual, descobriu-se que cerca de 26 partidos e quase quinhentos políticos mantinham uma (PP), Parceria de Participação “nos lucros das maiores empresas” (propina), sobre cada contrato firmado com os governos, da época, especialmente com a Petrobras, formando o que se convencionou chamar de “propinoduto”, por onde escoaram bilhões de dólares para o pagamento de suborno a todos eles; atualmente, foi montada uma PPPV, parceira público-privada da vacina, cujo resultado foi a morte de mais 615 mil brasileiros.

Tancredo, como seu velho companheiro de tantas lutas, em momentos sensíveis da nossa história, por um Brasil melhor, lembro-me de que as nossas preocupações e ações eram pela redemocratização, por uma nova Constituição, que enchiam de esperanças os corações e mentes dos brasileiros, fazendo-os sonhar com um novo país. Hoje, o que vemos em nossas reflexões transcendentes é uma sociedade revoltada e desesperançada, ante uma classe política desmoralizada, mergulhada em corrupção, criminalizada e demonizada, pelo conluio que formou entre a primeira família, o “centrão”, os amigos da corte e até milicianos.

Tancredo, meu velho amigo, é degradante, e perturbador para nossa paz de espírito, constatar que, à exceção de Itamar Franco, que, como nós, também repousa no habitat dos que já transcenderam, os ex Presidentes FHC, Collor de Mello, Lula, e Dilma Rousseff, e, especialmente, o atual, estão todos citados nessas listas, nesse que já é o maior escândalo de corrupção de que se tem notícias na história da República brasileira. Com as recomendações e lamentações de Tancredo//[email protected]

Comentários e críticas para: [email protected]

Arnaldo Santos

Arnaldo Santos é jornalista, sociólogo, doutor em Ciencia Política, pela Universidade Nova de Lisboa. É pesquisador do Laboratório de Estudos da Pobreza – LEP/CAEN/UFC, e do Observatório do Federalismo Brasileiro. Como sociólogo e pesquisador da história política do Ceará, publicou vários livros na área de política, e de economia, dentre eles - Mudancismo e Social Democracia - Impeachment, Ascenção e Queda de um Presidente - sobre o ex-Presidente Collor, em 2010, pela Cia. do Livro. - Micro Crédito e Desenvolvimento Regional, - BNB – 60 Anos de Desenvolvimento - Esses dois últimos, em co-autoria com Francisco Goes. ​Arnaldo Santos é membro da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo – ACLJ, e da Sociedade Internacional de História do século XVIII com sede em Lisboa.

Mais do autor

Arnaldo Santos

Arnaldo Santos é jornalista, sociólogo, doutor em Ciencia Política, pela Universidade Nova de Lisboa. É pesquisador do Laboratório de Estudos da Pobreza – LEP/CAEN/UFC, e do Observatório do Federalismo Brasileiro. Como sociólogo e pesquisador da história política do Ceará, publicou vários livros na área de política, e de economia, dentre eles - Mudancismo e Social Democracia - Impeachment, Ascenção e Queda de um Presidente - sobre o ex-Presidente Collor, em 2010, pela Cia. do Livro. - Micro Crédito e Desenvolvimento Regional, - BNB – 60 Anos de Desenvolvimento - Esses dois últimos, em co-autoria com Francisco Goes. ​Arnaldo Santos é membro da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo – ACLJ, e da Sociedade Internacional de História do século XVIII com sede em Lisboa.