Pré-leitura do livro O Costurador de Mundos, de ACKSON DANTAS

O AUTOR

Ackson Dantas é Neuroeducador, poeta, professor de artes e artista cênico.

A PUBLICAÇÃO

O livro ‘O Costurador de Mundos’, de Ackson Dantas, foi lançado em 2019 pela editora Máquina de Ler, com 147 páginas, prefácio de Carlinhos Perdigão, ilustrações de Hélder de Pádua.

CIRCUNSTÂNCIAS

O livro de estreia de Ackson Dantas nasce em cada verso para registrar sensações provocadas por lugares, costumes, pessoas, experiências nas andanças do autor. Os poemas foram se superpondo, com tons, ritmos e estilos diferentes, como se cada um deles fosse seu próprio mundo. O livro costura esses retalhos de poesia.

A IMPORTÂNCIA DO LIVRO

Nas palavras mais que autorizadas do ilustre prefaciador, o dublê de professor e artista Carlinhos Perdigão, O Costurador de Mundos é uma “obra aberta, palavras abertas, crônica do dia, vento norte, búsola estética…a poesia não se explica, ela se excita num navegar impreciso…contempla sóis e espelhos cristalinos”

O livro faz emergir o poeta, que já está feito, e o expõe ao crivo do mundo (um desses mundos a costurar).

O LIVRO

O livro apresenta 120 poemas, dividido em seções temáticas como filosofia, luxúria, pessimismo, eu, lirismo, desilusões e amor. Há poemas brevíssmos, há poemas com e sem rimas, a entonação quem dá é o leitor. Como se trata de um livro de estreia, não se deve tentar qualquer classificação nos esquemas tradicionais. Na verdade, a obra se abre em muitas e enormes possibilidades.

CURTAS

Se nada der certo

Valeu a poesia (do poema SE)

Se não está preparado para as verdades

do quarto, deita na sala (INSÔNIA)

Não precisam temer

somos apenas humanos

capazes de tudo (VENTRÍLOUCO)

Corpos tombados

sonhos perdidos

sobraram choros, gemidos (PERPLEXO

Não houve lágrimas derramadas

apenas silêncios

da estrada de quem partiu…(ESTRADA PARTIDA)

Aprendeu a esquecer

mas canta sem parar

como se buscasse forças para voar (CANTO DO ROUXINOL BRAZ)

A verdade floresce

Pena…

O engano era doce (DESENGANO)

BONS MOMENTOS

…Apenas costuro mundos

onde a linha não alcança…

Verso nos inverso dos enredos

me arremedo de ideias

que não cabem em mim

tampouco nos poemas que escrevo…” (do POEMA ENVIESADO)

“…Caia chuva

desça, lave

Leve

Salve-se

Quem puder

Nade

Navegue em canoa

Reme remo, rume

ao encontro do mar, ao encanto das águas…” (de NAVEGAR IMPRECISO)

“As doces coisas da vida

Precedem o amargo amanhã

A vida não é eterna

nem as coisas doces…

Nunca se esqueça

mesmo que o amargo surja

Será a ponta da língua

os lábios

o céu da boca

que transformarão tempos difíceis

em gotas de chocolate…” (de O DOCE DA VIDA)

“Na janela do trem

Vejo tudo que passa

Vejo tudo que fica…

Na janela de plasma 3D

Pasmo tudo que passa

Esqueço tudo que fica

Desligo do mundo…” (de PASMEM PLASMADOS)

“…Sem pressa de ser musa

Inspirar não quer

Reluz como se fosse a única

Perdida no espaço

Aos olhos do mundo

Apenas mais uma

Em sua imaginação

Vedete…” (de VEDETE)

“…Sonho

Viajo

Mas mantenho controle

Demonstro contrários

Viro bobo

Pois este foi criado

Apenas para confundir os sábios.” (de PRA CONFUNDIR)

“…Essa vida teimosa não deixa

Não enxergo nem mais um passo à frente

Nem os que ficaram para trás

Talvez seja por isso

que não sou compreendido

Porque sou uma ilha a cada passo…” (de SUTILEZA PARADOXAL)

Osvaldo Euclides

Osvaldo Euclides

Economista e Professor Universitário.

Mais do autor

1 comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.