Poema de despedida para o amor

Grandes asas exigem grandes espaços
Mais que isso
Céu

Não me queixo
Embora doa
Também eu careço da imensidão aberta

Quero ver a beleza das asas negras
Bronzeadas
Infinita envergadura feminina

As asas maternas
A graúna que amei e que amarei
Eu, aquele rinoceronte de que te falei
Num outro poema de caminhadas

Airton Uchoa

Escritor, leitor e sobrevivente.

Mais do autor

Airton Uchoa

Escritor, leitor e sobrevivente.