“Distritão”: um sistema eleitoral perverso

 

Aborda-se a discussão na Câmara dos Deputados visando substituir o sistema eleitoral proporcional pelo sistema de “voto único não transferível”, ou “distritão”. Aponta-se a perversidade de tal alternativa e enfatizam-se possíveis prejuízos para a representação política.

Filomeno Moraes

Cientista Político. Doutor em Direito (USP). Livre-Docente em Ciência Política (UECE). Pós-Doutor pela Universidade de Valência (Espanha).

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.