Sobre Dora de Paula

Maria Auxiliadora de Paula Gonçalves Holanda, doutora em educação-UFC, mestre em Educação-UnB, Arteterapeuta- Instituto Aquilae, escritora e compositora.

CIDADES

As cidades, os lugares
Os cantinhos
São ninhos, corações
Palmas de mãos?
As ruas, aonde vão dar?
 
E as portas, pra quem se abrirão?
As janelas abertas são certas
Pra ver o mundo?
 
De alguma fresta
Podemos fazer
A festa do olhar
É possível ver tanto
É possível ter encanto
Num canto qualquer
De

MODELO 

 
Quem disse que Matisse 
Pintou Clarisse?
Se ela falasse o que está pensando 
Seria um disse me disse 
O olhar dela me diz 
Que não está tão feliz 
 
Talvez decepcionada 
Com a amiga desalmada
Ou quem sabe entristecida 
Com as agruras dessa vida 
Será que perdeu o amor 
Com o qual

PAIXÃO e CALMARIA

Saia esvoaçante
Franzidinha
Cabelinho roxo
Lilás, deslumbrante
 
Ela é bonita
Hermafrodita
Estou olhando agora
A Passiflora
 
Mora no meu coração
Flor da Paixão
Minha Magnólia
Uma glória de Fulô
Pra apaixonar
Pra me acalmar
Meu amor
De maracujá
 
Dezembro/2023
Dora de Paula
 
Foto: Pachelly Jamacaru

DEDO DE PROSA

Sei que nunca estou sozinho
Há flores pelo caminho
De todas as cores e formas
Um motivo que transforma
Se estou borocoxô
Tudo ganha outro sentido
Quando me pego envolvido
Com todo tipo de flor
Paro mesmo e converso
Escrevo mais outro verso
Inverto o estado de humor
Não estou fugindo

Foto arquivo pessoal

OLHEMOS O CÉU

Ainda impactada com o filme “Mais Pesado é o Céu” do diretor cearense Petrus Cariry. O que vejo na tela parece ser uma tradução da vida e da morte, não como cara e coroa, mas como cara e cara. Fiquei

PANELAS

Tinha o livro preso ao peito
Com tanto jeito
E as panelas esperando
Ai… as panelas …
As panelas, sorrindo, lhe diziam
 
Vai Maria
Pro lugar da alegria
Teu corpo em agonia
Pede alimento
Teu espírito também pede
Um alento
Come, meu amor!
Come!
Sacia a tua fome.
 
Dezembro/2023
Dora de Paula

Marinê

MARINÊS

Uma Rainha com coroa diferente
Chapéu de coro do Nordeste
Lugar de cabra da peste
Dessa terra do repente
De Dominguinhos, Jackson e Gonzagão
Terra de tudo o que é bom
Principalmente a gente
 
Eu agradeço por tudo o que ela fez
Xaxado, baião, remelexo
Botou as coisas nos

DIZER

No íntimo tenho um ritmo
Lue me capta. me captura
Parece ínfimo
Mas me rapta porque me atura
Eo mesmo ritmo
Lue se adapta às minhas lonjuras
Duando me distancio
Das amarguras desse mundo
E apenas o meu desejo profundo
De expressar, exprimir., espremer
D que posso Suportar da dor
E

DANÇA

Pensa que é ave…
Ave Maria!
Cria juízo
Mas nem tanto
Nem é preciso
Respira no encanto
Abre tuas asas
Pelos teus cantos
Por tuas casas
Teus acalantos
E vai
E se cais
Eu te levanto
Na força do meu amor
Por onde você for
Cria juízo
Mas nem tanto
Eu canto teu canto de flor
 

 
Dora