A onça começou a beber água

“Quando a caneta some, os ventos mudam de direção”.

“A hora da onça beber água” é uma expressão popular para indicar, de forma sutil e rápida, a chegada de um momento perigoso e decisivo para os bichos da selva, afinal a onça costuma beber água ao cair da noite, quando os movimentos se tornam mais difíceis, fazendo desta a melhor hora para a onça caçar e aniquilar suas vítimas.

A semana política no Ceará concluiu com um cenário de tensões elevadas mediante  os ataques de Ciro Gomes (PDT-CE), antes voltados diariamente para o presidente Lula e para o Partido dos Trabalhadores (PT), agora voltarem-se também para o ex-governador Camilo Santana (PT-CE), qualificado pelo patriarca da oligarquia Ferreira Gomes como um “ex-aliado”, pelo fato de Santana não se alinhar automaticamente com a indicação da candidatura ao governo do estado do ex-prefeito Roberto Cláudio, imposta por Ciro à toda coligação partidária que sustenta sua base política. De fato, Santana antes de passar o cargo para a vice-governadora Izolda Cela, no início de abril, realizou alguns movimentos ao ampliar a participação do PT na Assembleia Legislativa e no quadro das Prefeituras do interior do estado. Isto deve ter chamado a atenção da oligarquia sobralense.

Simultaneamente nesta semana, outras articulações ocorriam em São Paulo, maior PIB estadual e maior colégio eleitoral do país, onde Márcio França (PSB-SP) desistiu da disputa para o governo para apoiar a candidatura de Fernando Haddad (PT-SP), aceitando concorrer à vaga ao Senado, despontando já como franco favorito, segundo pesquisa da Genial/Quaest realizada entre os dias 1º e 4 de julho, divulgada no último dia 7. Especula-se ainda que o próximo movimento no tabuleiro político será a definição do nome de Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD-SP, para a primeira suplência de Márcio França, na coligação PT/PSB, o que poderia trazer consequências diretas na composição das alianças aqui no Ceará, já que o deputado federal Domingos Neto (PSD-CE) se apresentou como um postulante a compor a chapa majoritária estadual, podendo, quem sabe, vir a ser o vice numa articulação encabeçada pelo PT Ceará.

Na quinta-feira no Hotel Amuarama, 7, por um lado, dirigentes do PT, MDB, PP, PV e PC do B lançaram um manifesto em defesa da candidatura da governadora Izolda Cela (preferida de Santana) à reeleição. E do outro lado destas mobilizações, o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT-CE), aumentou o tom de sua defesa da candidatura de Roberto Cláudio que, segundo observadores mais íntimos dos cenários em questão, é dada como líquida e certa, não havendo possibilidade de mudança conforme já expressou reiteradamente Ciro Gomes.

Todavia, no caso de um rompimento final da assim dita aliança, caberá ao PT o protagonismo da condução da construção da Frente Ampla de apoio ao projeto nacional Lula Presidente, numa engenharia política que contemple especialmente as lideranças dos três grandes partidos envolvidos nesta composição: PT, MDB, PSD. Entres os diversos cenários possíveis, a considerar o resultado das primeiras considerações postas na mesa, na reunião no Amuarama, ter-se-ia o PT na cabeça do governo estado, o PSD na vice e o MDB no Senado. Logicamente, caso seja este o cenário a ser consolidado, caberá ao ex-governador Camilo Santana a responsabilidade política de concorrer a uma vaga na Câmara Federal, contribuindo de forma decisiva, como o grande puxador de votos, para a forte ampliação da bancada petista de deputados e deputadas federais, conforme Lula vem sistematicamente solicitando tal fortalecimento estratégico.

Alexandre Aragão de Albuquerque

Mestre em Políticas Públicas e Sociedade (UECE). Especialista em Democracia Participativa e Movimentos Sociais (UFMG). Arte-educador (UFPE). Alfabetizador pelo Método Paulo Freire (CNBB). Pesquisador do Grupo Democracia e Globalização (UECE/CNPQ). Autor dos livros: Juventude, Educação e Participação Política (Paco Editorial); Para entender o tempo presente (Paco Editorial); Uma escola de comunhão na liberdade (Paco Editorial); Fraternidade e Comunhão: motores da construção de um novo paradigma humano (Editora Casa Leiria) .

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.