Tragédia de Brumadinho é resultado de negligência de autoridades públicas, diz Senador do Pode

Em discurso nesta segunda-feira (11) em Plenário, o senador Elmano Férrer (Pode-PI) criticou o descaso do governo com a segurança das barragens no Brasil. Para ele, o país não aprendeu nada com a tragédia ocorrida em Mariana (MG), em 2015, e isso levou ao desastre de Brumadinho (MG), no , em 25 de janeiro,quando uma barragem da mineradora Vale se rompeu, soterrando centenas de pessoas e destruindo com rejeitos tóxicos o Rio Paraopebas.

— Há tempos venho alertando a sociedade e o poder público sobre o descaso histórico a que nossas barragens são condenadas — o parlmaentar, que analisou a política de segurança de barragens no ano passado, no âmbito da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR).

O senador salientou que a maior parte das milhares de barragens do país não têm monitoramento e fiscalização. No relatório, Elmano observou que apenas 3% das barragens foram fiscalizadas no ano passado. As duas tragédias foram anunciadas, afirmou o parlamentar.

— Em dezembro passado apresentei a esta Casa o relatório de avaliação da Política Nacional de Segurança de Barragens, que desenvolvemos no âmbito da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo aqui do Senado. Para nós, que trabalhamos na elaboração desse texto, que realizamos duas audiências públicas aqui em Brasília, aqui no Distrito Federal, e uma outra em Teresina, dói perceber que Brumadinho, como Mariana, não foi um caso fortuito, uma fatalidade. Ambas eram tragédias anunciadas. Foi resultado da negligência e da desídia — disse o senador.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor