Senador do PR acusa o PT: só queria tirar os corruptos para ocupar o lugar deles

O senador Magno Malta (PR-ES) enalteceu nesta quinta-feira (1º) o trabalho do juiz federal Sérgio Moro na condução da Operação Lava Jato, mas ressalvou que é preciso cobrar comportamento ético de juízes e promotores. Ele criticou os senadores que, na sessão temática desta quinta-feira, buscaram enfrentar Sérgio Moro. E questionou os apelos do PT à moralidade, por considerar que o partido “institucionalizou” a corrupção.

— O PT era o arauto da moralidade. A moralidade e a honra só morava na casa deles. Eles queriam chegar ao poder para poder tirar os corruptos. Hoje eu sei para quê: para ocupar o lugar dos corruptos.

Magno Malta lamentou que, no Brasil, as pessoas achem normal ter medo de promotores e juízes. Ele lembrou que os Conselhos Nacionais de Justiça e do Ministério Público foram criados para conter arbitrariedades, não para legislar, e a discussão sobre o abuso de autoridade é uma oportunidade de chamar a atenção para o trabalho desses conselhos.

O senador capixaba considera que o debate sobre a legislação do abuso de autoridade deve ocorrer no momento certo, sob risco de que o Congresso pareça estar “de costas para a rua”. Ele declarou esperar que o exemplo de coragem e honradez de Sérgio Moro seja imitado pelos novos operadores do direito.

Na sessão temática foi debatido o projeto de lei (PLS) 280/2016, do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que modifica a lei de abuso de autoridade.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor