Se ferrar faz parte da vida, e você não é a mulher maravilha

Antes de mais nada quero deixar bem claro que tudo que contém nesse texto são opiniões minhas, dessa humilde e iniciante escritora, tá bem?

O Título pode parecer confuso, pois fala de duas coisas completamente diferentes. Mas, como estou um pouco engasgada, vou explicar aqui os dois, sem neuras, e da melhor forma que eu conseguir, certo?

O ano mal começou e eu já passei por uma situação que jamais tinha passado na vida. Já tinha sido até protagonista de outros filmes, mas jamais tinha escrito o roteiro. Situação essa que foi tão chata, mas tão chata, que me roubou o sono por dois longos dias, refletindo sobre “o que é amizade”.

Mas você aí, sabe o que é amizade? Pesquisando de forma mais técnica aqui na internet, achei a seguinte definição… “Amizade é a relação afetiva entre os indivíduos. É o relacionamento que as pessoas têm de afeto e carinho por outra, que possuem um sentimento de lealdade, proteção etc”. Concorda comigo que quando você ama, e tem um afeto imensurável por alguém, também é incrível o sentimento de proteção? De não querer ver aquela pessoa sofrer? Acho que estamos quites até então.

A única coisa que você não sabe, é justamente o título deste post “Se ferrar faz parte da vida, e você não é a mulher maravilha”. Eu tentei embora da forma errônea,  proteger uma pessoa na qual intitulei amiga. Que permiti que também fizesse parte da minha vida ativamente. O que eu não esperava era uma reação imatura, de uma pessoa que se dizia adulta. Aliás, amigos não são aquelas pessoas que sentam contigo numa mesa de bar (apenas), que te a acompanha em festas badaladas. Mas amigos mesmo, são aqueles que te falam a verdade com sinceridade, embora doa bastante! Acontece que todo mundo quer sinceridade e ouvir verdades, mas nem todos são maduros o suficiente para absorver, e colher aprendizados.

O que tirou meu sono foi uma sensação horrível, e a pergunta que não parava de martelar, porque eu falei isso? Porque eu ativei meu instinto protetor? Sabe quando a gente vai fazer burrada, e a mamãe fala “filha, não faz isso que não vai dar certo”? Diga-se de passagem, eu fui a mãe chata,  a mãe protetora. Só me ferrei! E não teve ninguém pra me ajudar!

Então entramos na primeira parte deste texto “Se ferrar faz parte da vida”. Não fiquem tão chateadas!! Por mais que amemos nossas amigas, que amam ouvir verdades, algum dia ela vai te ver como mais uma, sua opinião será um nada, você vai sair de bruxa, mentirosa, opiniosa, mal amada, e invejosa. Por isso, por mais que você saiba de algo que seja tenso, como  algo que envolva “relacionamentos amorosos”, se faça de louca! Deixe ela ir, errar, cair, chorar, voltar, pedir ajuda, se lamentar, aliás, se ferrar é uma coisa super normal nessa vida. Quem nunca? Principalmente quando se fala de relacionamentos.

Eu sei que vocês são quase irmãs, mas lembre-se de que quase sempre “nosso filtro não funciona”. Nem filtro, nem discernimento, nem razão, nem sabedoria, nem inteligência. Somente a emoção. Agimos por impulso quando essa parte do cérebro está ativada, então de amiga-irmã quase gêmea siamesa, você será a sabe tudo destruidora de relacionamentos lindos coloridos e cor de rosa.

Por mais que você tenha todas as provas possíveis e imagináveis que um juiz e um juri peça, FIQUE CALADA. Ai onde chegamos na segunda parte deste texto, e na lição não menos importante: você não é a mulher maravilha! Não amiga! Você não é a mulher maravilha! Você não tem a força de Herácles, a sabedoria de Atena, a beleza de Afrodite e nem a velocidade de Hermes. E muito menos ainda, foi treinada em todas as habilidades de luta armada e desarmada da antiga Grécia ok? Por isso, pare!

Sua opinião, sua forma de ver o mundo, mesmo tendo provas, chão, e sabedoria para concretizar isso em um conselho bacana e libertador, jamais salvará a terra sem deixar feridos e mortos em batalha. Portanto, o melhor mesmo é calar. Nós, seres humanos, temos aquele sentimento de “eu sei o que é melhor pra mim”, e por muitas situações, é isso que nos movimenta. O pior, é que absorvemos isso pra vida igual a um mantra, que de tanto repetir, passa a ser realmente verdade. Como o cigarro, que acalma alguns, mas é mega prejudicial a saúde trazendo doenças respiratórias complicadas.

Por tanto, a lição mais valiosa que eu aprendi em 2015, retorna com força total no primeiro mês do novo ano: “ninguém vale mais do que sua paz”. A paz interior, é a coisa mais importante que temos, por isso, temos que preservá-la. Sabe quando você tá vendo que ali vai dar ruim? Respira, inspira, imagine um míssil em direção ao alvo com toda velocidade do mundo e lembre-se, “você não vai conseguir pará-lo, e não tem nada a ver com a situação na qual o alvo foi colocado, vai estourar com ele porque”? Deseje boa sorte e siga! Mas fique perto para juntar os cacos, afinal, são coisas de amigos, e amigos amam, e amar, nos faz fazer idiotices, como mesmo depois de ser pisados, e má interpretados, dar colo. Só abra a sua boca quando for solicitada, preserve o que ha de melhor dentro de você, paz interior.

Karlla Queiroz

Karlla Queiroz

Karlla Queiroz é Publicitária, Especialista em construção de marcas, criativa quando bebe café, e escreve textos inspiradores para pessoas extraordinárias.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.