REITOR, REITORES

Em outros tempos, os reitores das universidades públicas não ouviam, calados, os destemperos dos governos. Como os ministros não conheciam bem o métier da Educação, tergiversavam, esqueciam os contraditórios ideológicos e terminavam por “assimilar” alguns conhecimentos úteis ao governo.

Agora, há, dentre eles, quem defenda os cortes anunciados em seus orçamentos e na forma de distribuição de recursos segundo novos critérios de aprovação.

Em pleno governo João Figueiredo, o último da série dos generais-presidentes [na década de 80], os reitores das universidades federais, ao tomarem conhecimento da demissão do Ministro Eduardo Portella, da Educação, reuniram-se em um hotel em Brasília para protestar contra a nomeação de um general para a pasta. Parecia um gesto impensado, impulso de jovens reitores que já os havia na época. Não era, traziam aqueles reitores a força de um compromisso que os faziam vozes e vontade em defesa da universidade brasileira.

Eram outros tempos. O regime, envelhecido, não sabia como conduzir o Pais pelos caminhos da redemocratização. Precisou que fosse demonstrado como se fala a uma ditadura e como a opinião pode fazer-se novamente ouvida.

O totalitarismo é conduzido por um “timing” fatal. As ditaduras chegam rapidamente. Instalam-se e assenhoreiam-se do poder — em defesa patriótica da democracia. Porém, a democracia é preguiçosa, só pega no tranco. Custa a aquecer o motor…

Paulo Elpídio de Menezes Neto

Cientista político, exerceu o magistério na Universidade Federal do Ceará e participou da fundação da Faculdade de Ciências Sociais e Filosofia, em 1968, sendo o seu primeiro diretor. Foi pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação e reitor da UFC, no período de 1979/83. Exerceu os cargos de secretário da Educação Superior do Ministério da Educação, secretário da Educação do Estado do Ceará, secretário Nacional de Educação Básica e diretor do FNDE, do Ministério da Educação. Foi, por duas vezes, professor visitante da Universidade de Colônia, na Alemanha. É membro da Academia Brasileira de Educação. Tem vários livros publicados.