Reformas são essenciais para melhorar eficiência da iniciativa privada, diz senador do PROS

A crescente judicialização da política prejudica a capacidade do Parlamento de exercer suas funções, e mina a credibilidade da instituição para o exercício da democracia representativa. A avaliação foi feita neste sábado (2) pelo senador Fernando Collor (PROS-AL), em Plenário, ao apresentar a sua candidatura à Presidência da Casa.

— Não podemos aceitar a criminalização da política. Muitas questões levadas à judicialização decorrem de deficiências na legislação por nós elaborada. Precisamos trabalhar com mais afinco para elaborar leis mais efetivas. Assim teremos um ordenamento jurídico moderno e coerente, apto a alavancar o desenvolvimento do Brasil — afirmou.

Collor disse que o Brasil vive um momento crucial, e que a história recente do pais registra graves crises de representatividade que ainda ecoam sobre as instituições republicanas, inclusive o próprio Congresso Nacional.

O senador ressaltou ainda que o país emergiu das eleições de outubro de 2018 dividido para além das saudáveis divergências político-ideológicas,

— Persiste um ambiente polarizado que alimenta divisões e aprofunda sentimentos. Houve grave ruptura política. Não avançaremos com o país ressentido consigo mesmo. Dividida, a sociedade não encontrará o caminho da prosperidade econômica e superação das dificuldades — afirmou.

Ao defender sua candidatura à Presidência do Senado, Collor destacou sua atuação política como ex-prefeito de Maceió, ex-deputado federal, ex-governador de Alagoas e ex-presidente da República.

— O clamor das ruas exige resposta. Rever pacto federativo é fundamental para que estados e municípios deixem de ser humilhados e passem a ter meios adequados para sua sobrevivência. Aprofundar reformas é essencial para melhorar a eficiência da iniciativa privada — afirmou.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.