Queda na arrecadação de impostos e de royalties do petróleo e uma gestão desastrosa, causas da crise no Rio de Janeiro

Em pronunciamento nesta terça-feira (7), o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) disse que a situação econômica do Rio de Janeiro é bastante grave, que seria uma consequência perversa da queda na arrecadação de impostos e de royalties do petróleo, e de uma gestão no mínimo desastrosa das contas públicas ao longo dos anos.

— Trata-se de uma crise verdadeiramente dramática, que sucateia a saúde, a educação e a segurança, e ameaça o sustento das famílias. Alguns servidores ficaram sem salário. Na sequência, faltou comida nas penitenciarias, houve restrição no atendimento à saúde. O estado perdeu 21% dos empregos nas indústrias naval, siderúrgica, automotiva e de óleo e gás. A situação é de calamidade — afirmou.

Eduardo Lopes disse que a resolução da crise envolve os representantes do Executivo e do Legislativo.

— Temos que pensar no povo, no Rio de Janeiro, que tem milhões de contas a pagar, e nossas receitas não são suficientes para honrar seus compromissos — afirmou.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *