PELA LIBERDADE DE APRENDER

O coletivo de professoras e professores orientadores da XI Olimpíada Nacional de História do Brasil – ONHB – divulga nas redes sociais um MANIFESTO PELA LIBERDADE DE APRENDER. Esse manifesto é um repúdio a decisão do Sistema Colégio Militar do Brasil em proibir os seus alunos (as) de participarem da XI Olimpíada Nacional de História do Brasil – ONHB deste ano.
O coletivo, em nota, conclama o Sistema Colégio Militar do Brasil a respeitar e cumprir a constituição Federal em seu artigo 5º e nos seguintes parágrafos:
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
VIII – ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;
IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;
O comunicado busca alertar a sociedade brasileira que a proibição feita pelo Sistema Colégio Militar do Brasil fere a democracia, fere a liberdade do espaço escolar que deveria ser espaço de ideias, de um pensamento plural mediado pelos professores através dos métodos científicos. A nota é enfática e diz que: “… as escolas brasileiras, conforme a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, deve se pautar nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana.”
Sendo assim, a proibição dos alunos(as) de participarem da olímpiada é um ato de censura, um ato antidemocrático já que eles se propuseram voluntariamente a participar de mais um ano dessa importante e já conhecida olimpíada.
Ao final do manifesto, o coletivo de professoras e professores orientadores da XI Olimpíada Nacional de História do Brasil – ONHB solicitam que o Sistema Colégio Militar do Brasil repense o seu ato com base nos termos do inciso 2º do artigo 220 da Constituição da República e o mesmo é assinado por vários professores de história de todo o Brasil que fazem parte do coletivo de professores e professoras orientadores da 11ª ONHB.
ASSINAM O PRESENTE MANIFESTO O COLETIVO DE PROFESSORAS E PROFESSORES ORIENTADORES DA 11a ONHB.
Adriano Moraes de Lima – Videira/SC
Adriel Jonathas Fernandes Siqueira – Mossoró/RN
Aletícia Rocha da Silva – Colinas do Tocantins/TO
Alexandre Coelho – Jequié/BA
Aline da Costa Luz de Lima – Águas Lindas/GO Alisson Alves – Fortaleza/CE
Alysson Ricardo – Mossoró RN
Amanda Ribeiro Mafra Lima – Piumhi/MG
André Isaac Santos de Sousa – Fortaleza/CE
André Vinicius – Fortaleza/CE
Andressa Garcia – Curitiba/PR
Antônia Eurenice Rodrigues Silva – Santarém/PA
Aroldo Vieira da Silva – Macapá/AP
Blenda Cunha Moura – Cruzeiro do Sul/AC
Carla Izabel Amaro Brolia – Lucianópolis/SP
Carlos Henrique Teotônio – Fortaleza/CE
Carlos Monteiro Alves – Amambai/MS
Damilson Santos da Silva – Fortaleza/CE
Daniel de Freitas Nunes – Araguatins/TO
Daniel Florence Giesbrecht- Campinas/SP
Denilson Roberto Schena – Curitiba/PR
Djalma Melo – Juaguaribe/CE
Emãnuel Luiz Souza e Silva – Sorriso/MT
Esdras Oliveira – Tefé/AM
Fabiano Sousa- Fortaleza/CE
Felipe Barreira Ferreira – Fortaleza/CE
Felipe Francisco Neves Domingues – Recife/PE
Fernando Rebouças da Costa – Fortaleza/CE
Flávio de Sá Cavalcanti de Albuquerque Neto – Recife/PE Gabriela Grudka Pohlmann – Santa Catarina/SC
George Mota – Fortaleza/CE
Gerardo Júnior – Mossoró/RN
Glayds Richeles Araújo Veiga – Campina Grande/PB
Herika Fabíola Barros de Souza Oliveira do Valle – Boa Vista/RR
Israel Carneiro de Aquino – Caldas Novas/GO Italo Carneiro – capital do estado do Ceará/CE Ivan Luís Lima Cavalcanti – Recife/PE
Jaime José dos Santos Silva – Santa Catarina/SC Jamilles Cândido – Fortaleza/CE
Jefferson Heitor – Natal/RN
Jéssica de Souza Brito – Fortaleza/CE
José Cleber Uchôa Gomes-Fortaleza/CE
Juliane Moraes – Campo Largo/PR
Júlio Mangini Fernandes – Brasília/DF
Kildery Amorim Maciel – Fortaleza/CE
Kleiton Andrade – Natal/RN
Leandro Pinheiro – Natal/RN
Livia Lara da Cruz – Astorga/PR
Lucas Moura – Campina Grande/PB
Manuela Arruda – Pontes e Lacerda/MT
Marcelo Holanda – Fortaleza/CE
Márcio Michiles- Fortaleza/ CE
Marco Henrique Zambello – Campinas/ SP
Maria Aparecida –Porto Alegre/RS
Marília Cardoso – Fortaleza/CE
Mayra Paniago Cardoso – Goiânia/GO
Michele Valentim Morais – Florianópolis/SC Niltomar de Souza- João Pessoa/PB
Paulo Airton Pinto Damasceno – Fortaleza/CE Paulo Cunha – Natal/RN
Paulo Eduardo de Mattos Stipp – Votuporanga/SP Paulo Garcia – Fortaleza/Ceará
Pedro Felix (Pedrão) – Palmas/TO
Plínio Ferreira Guimarães – Lajinha/MG
Rafael Felipe de Almeida- Fortaleza/CE
Rafael Magnum de Azevedo Freitas – Mossoró/RN Regis Alves – Itapipoca/ CE
Ricardo Vilar – Natal/RN
Rodrigo Francisco Dias – Bambuí/MG
Sirleia Maria Arantes – Barbacena/MG
Taiana Queiroz – Fortaleza/CE
Thiago Augusto Divardim de Oliveira – Curitiba/PR Thiago de Faria e Silva – Brasília/DF
Thiago Oliveira Braga Pacatuba/CE
Thiago Trindade Marques – Caruaru/PE
Ygor Olinto Rocha Cavalcante – Coari/AM
Zilfran Fontenele – Fortaleza/CE
Luiz Carlos Prata Regadas

Luiz Carlos Prata Regadas

Sociólogo e Mestre em Políticas Públicas pela Universidade Estadual do Ceará- UECE. Tenho experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Política Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: política brasileira, geopolítica e influência da grande mídia.

Mais do autor - Twitter - Facebook - YouTube