Parece que estou vendo o mesmo filme de 4 anos atrás, diz senador do MDB

O senador Dário Berger (MDB-SC) pediu união entre os integrantes dos poderes da República. Em pronunciamento nesta quinta-feira (28), o senador disse que os problemas que o país enfrenta, como a violência, o desemprego, o deficit fiscal e da Previdência, só poderão ser vencidos se houver conciliação entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário.

— Parece-me que estou vendo o mesmo filme de quatro anos atrás: muita vontade, muita disposição e pouco entendimento, poucos projetos, pouca interlocução [entre Executivo e Legislativo] que possa, efetivamente,  (…) colocar o Brasil no rumo certo, num horizonte onde a gente possa ver o fim do túnel, onde a gente possa perceber que o Brasil tem um plano de desenvolvimento nacional, de desenvolvimento regional, um plano para tirar as pessoas do desemprego, da miséria, da fome — afirmou o senador.

Para Dário Berger, o futuro do Brasil deve estar acima das questões partidárias e, sobretudo, acima das divergências e diferenças. Por isso, representante políticos devem buscar um denominador comum com moderação e convivência harmônica porque, para o senador, governo arrogante e prepotente é sinônimo de governo fracassado.

— Passados aproximadamente 90 dias do novo governo, acho que posso afirmar com convicção que o sinal amarelo já está aceso, ou seja, o retrato do Brasil não mudou muito. A situação continua complexa, as opiniões continuam divergentes, os tempos continuam difíceis, a crise econômica dá sinais de resistência, as redes sociais continuam cada vez mais agressivas, o déficit fiscal, que é de R$ 139 bilhões, corre o risco ainda de aumentar — lamentou.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor