O Brasil precisa de homens com atitude de grandeza, por Haroldo Araujo

Assisti a entrevista do Ex-Presidente Lula à Folha de São Paulo e Ele não revelou nada além do que já sabíamos que seria dito naquela oportunidade ao reafirmar que sofre perseguição política e que tem a solução para a retomada do crescimento. Ele foi o guru por tanto tempo e nos levou à situação atual de elevada taxa de desemprego. Lula faz uma ressalva de que não se poderia exigir muito de Bolsonaro porque tomou posse há 120 dias. É também uma questão lógica.
Fernando Henrique também foi entrevistado em programa de TV (Globo News) e tudo transcorreu nos mesmos moldes da entrevista de Lula. Uma entrevista em que o entrevistado era amparado nas perguntas e nas respostas pelo entrevistador. Como? A condução dos temas se dava no sentido de permitir que os entrevistados tivessem espaço e se apresentassem como bons governantes e com alguns méritos não podemos negar. Afinal, ambos governaram 8 anos!
Por que a minha estranheza? Lula, em seu governo, acusava Fernando Henrique de neoliberal. Então, ele Lula, era o contrário, e, de 1994 até 2018, decorridos 24 anos de governos com pensamentos antagônicos e em que se revezaram no poder, deixaram as Finanças Públicas com rombos e a economia em recessão. Os dois lideraram uma gangorra em que se alternavam no poder, sob o comando do PT ou do PSDB tendo o PMDB como apoiador de ambos.

Seria cômico, se não fosse trágico. A tragicidade está nos resultados da economia, certo? Não mesmo. O pior que nos deixaram como herança foi na forma de gestão política. Desde quando Sarney precisou ampliar alianças para governar, que o mundo político entendeu que Collor de Mello só caiu porque não tinha costurado as alianças como fez o Sarney. Desde Collor que ninguém mais deixou de fazer as alianças para fins de se manter no poder. O povo era o detalhe.
A pergunta que fazemos é: Então, por que Dilma caiu com tantas alianças? Por causa da economia. Nenhuma aliança segurará um governante com uma economia ruim e uma política desastrosa (Dilma) que nos conduziu ao que ora enfrentamos foi a das alianças para governar. Os dois Ex-Presidentes fizeram bom governo? Sim, mas ambos deixaram para os sucessores a ideia de que governar bem é fazer alianças para apoiar propostas no parlamento. Não deu certo.

Quando FHC estava no governo, Lula posava de vestal e era um ícone. Quando Lula assumiu, tratou de demonizar FHC. Agora os dois esquecem dos discursos que fizeram um contra o outro e afinam um ataque igualmente desconexo e contra o atual governo. Bem que poderiam oferecer sua contribuição de forma mais digna, afinal são Ex-Presidentes. O Brasil é rico em Ex-Presidentes: José Sarney, Fernando Henrique, Collor de Mello, Lula, Dilma Roussef e M. Temer.

Meia dúzia de Ex-Presidentes e os que se manifestam nos trazem uma colaboração pífia, desconexa do momento e sem qualquer qualidade política. Precisamos buscar um consenso no reconhecimento de todos os erros no campo da política para oferecer subsídios ao novo gestor, que logo em mais alguns anos, estará deixando a Presidência da República. Não conheço trabalhos colaborativos da parte dos seis Ex-Presidentes para o país. Falta espírito público.

Tomara que não estejam trabalhando contra. Os maiores prejudicados são os assalariados que dependem de uma economia ajustada para a geração de empregos. Não haverá retomada do crescimento sem que nossa classe política se conscientize de suas elevadas responsabilidades para com o povo. Perdem autoridade, que é de cima para baixo, porque não têm responsabilidade que é de baixo (poder) para cima (povo). O Brasil está acima de tudo.

Onde anda o espírito altruísta de nossas principais lideranças? A grandeza cobrada por FHC a seus colegas Presidentes não serve para ele? O Brasil precisa da atitude de grandeza de todos.

Haroldo Araujo

Funcionário público aposentado.