O bispo e o peão

O bispo não ocupava espaço importante no tabuleiro do xadrez na sua versão oriental. Somente quando o jogo chegou ao ocidente é que ascendeu em certa pompa, ainda assim como uma peça auxiliar a serviço do poder soberano. A função original do bispo, no seu sentido teológico, remonta à Igreja primitiva, quando este possuía a tarefa de conduzir a Eclésia, resgatando o sentido grego: reunião do povo.

De volta ao xadrez, o bispo, além de proteger o soberano, assume papel simbólico em abrir espaço ao peão, até que este alcance o centro do tabuleiro para cumprir sua função estratégica no jogo.

Desta forma, seja no tabuleiro, seja na assembleia, o bispo assume figura central na condução do processo de abrir caminhos.

Aqui peão e povo se identificam enquanto expressão coletiva. Na lógica do enxadrista, o peão está exposto ao primeiro ataque do inimigo. Na lógica da assembleia, o povo está no centro do próprio destino. Em ambos os casos, é a expectativa da condução honesta do bispo que demarca a responsabilidade do cuidado.

Logo, o peão e o povo, se unem pelo destino do bispo que vai muito além de uma mera peça de xadrez, porque está revestido de uma perspectiva mística e teológica, não apenas funcional e administrativa de proteger o soberano.

Ocorre que o xadrez foi pensado como expressão da idade média. Na modernidade, ainda é isso? Atualizando o debate, no último dia 4 de julho em Fortaleza, um sacerdote católico de ascendência italiana, após denunciar a política de morte que se impõe sobre o Brasil, teve sua sacristia invadida por intolerantes.

Este evento fez com que parte dos peões, se reconhecendo nele, expressassem apoio e foram também hostilizados. Na sequência, o “peão católico”, mesmo vendo sua dignidade ferida e sua vida ameaçada, foi pressionado a calar-se diante dos cavalos que se movimentavam sobre o tabuleiro.

Batizaram de “prudência” a impossibilidade de se posicionar. Portanto, o tabuleiro gera a seguinte reflexão: sob a condução do enxadrista, o papel do bispo está claro. Na vida real fica a questão: qual a função do bispo em Fortaleza?

Rafael Silva

Professor Universidade Federal do Ceará Mestre em Administração Doutorando em Sociologia pela Universidade de Coimbra-PT

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.