MULHERCIDADE

DE LONGE
DO NORTE
EU ESTRANGEIRO
DA ESQUINA
DAS ÁGUAS
DA BEIRA-MAR
ME APROXIMEI
NATIVA NUA
JÁ ERA NOITE
TU VIGIAVAS
À LUZ DA LUA
ESTAVAS TRISTE
E NÃO CANTAVAS 

 

DE PERTO
SUDESTE
TEU EMPREITEIRO
DO ALTO
DO ASFALTO
DA BEIRA-MAR
EU TE EXPLOREI
DOCE ALDEIA
JÁ ERA DIA
GENTE MALVADA
EU NEM NOTEI
TE MALTRATAVAM
E TU FERVIAS

 

DO LESTE
DO OESTE
EU PASSAGEIRO
NA SOMBRA
DAS CURVAS
DA BEIRA-MAR
EU TE ENGANEI
OH BELA FLOR
JÁ ERA TARDE
PORTAS ABERTAS
POR TUAS RUAS
TE PENETREI
NADA DISSESTE

 

DO CENTRO
CATIVO
EU PRISIONEIRO
NA AREIA E
NAS ONDAS
DA BEIRA-MAR
EU TE AMEI
MULHERCIDADE
PASSOU DA HORA
EU TE BEIJEI
E TU GEMIAS
NÃO PERCEBI
QUE SÓ CHORAVAS

 

Osvaldo Euclides

Osvaldo Euclides

Economista e Professor Universitário.

Mais do autor

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.