Memórias de uma criança

Poucas coisas são tão nossas quanto as nossas memórias. Somos feitos de momentos que nos marcam desde o ventre. Estudos  científicos comprovam que a partir da 16° semana de gestação o bebê já é capaz de ouvir a voz da mãe, e outros sons externos.

 Claro que essas impressões não são lembradas nitidamente mas se fundem no processo de formação do nosso cérebro.
Na infância, enquanto somos como esponjas absorvendo o máximo de informação possível ao nosso redor, armazenamos aquilo que de alguma forma nos marca, e não se engane, geralmente são as coisas mais simples da vida que nos carimbam para sempre.

Das cenas que me vem a mente quando penso na minha infância, vejo quanto amor minha mãe colocava nos atos mais simplórios. Sempre preparava a roupa de ir à igreja aos sábados, uma jardineira verde com cheiro de amaciante, impecavelmente engomada e pendurada no cabide para não amassar.

Um dia na escola, acho que eu tinha mais ou menos uns 10 anos, a professora interrompeu a aula e me chamou na porta, era minha mãe, com um pacote do biscoito que  eu gostava, meu lanche.

Talvez o que fique guardado na Memória afetiva do seu filho não seja aquele carro de controle remoto que chegou em uma caixa grande e colorida, mas um robozinho de papelão que vocês passaram horas montando juntos.

Talvez aquela ida ao Parque Aquático, com tobogãs imensos e piscinas de onda, seja menos lembrada que os banhos dentro da bacia do quintal em dias quentes.

Talvez quando se tornar um adulto, seu filho nem lembre do tablet de última geração que ganhou com todos os jogos que ele mais gostava, mas se emocione ao pensar nas histórias que você contava pra ele antes de dormir.

Nessa época de pandemia e quarentena , quais as memórias queremos deixar nos nossos filhos? Provavelmente eles não lembrem dos dias de isolamento social e de como o mundo inteiro parou, mas gravem as manhãs brincando de pega pega, o se lambuzar com o bolo de chocolate e das cócegas que recebiam quando não queriam sorrir.

As lembranças são a nossa história, são peças do quebra cabeça que nos compõem. Hoje, faça delas as melhores pra que não se percam nas memórias de uma criança.

Hadassa Cavalcante

Graduada em Jornalismo, Mãe de dois, Vegetariana,Cristã.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.