LIZARB, AGORA SÓ COM “S” – By Gilmar Oliveira

Quando o mundo surgiu há mais de 25 bilhões de anos, nele havia milhares de oásis que, por falta de saber e sensibilidade, eram invisíveis. Um deles era Lizarb, qualificado como o oásis dos oásis por ser belo e rico por todos os ângulos:

  • Clima tropical;
  • Riquezas minerais;
  • Água cristalina;
  • Fauna pujante;
  • Flora bendita …  ….  …

Todas essas maravilhas e riquezas proporcionaram o surgimento de um povo puro, despretensioso e divino, com vida mansa, gregária e selvagemente ecológica e dócil.

Com o passar dos séculos, Lizarb passou a ser objeto de cobiça por habitantes de outros oásis, e foi invadido. Veja o que aconteceu:

    • A paz foi perturbada;
    • O clima poluído;
    • As riquezas roubadas;
    • As águas toldadas;
    • A fauna dizimada;
    • A flora nocauteada. Os lizarbienses foram perseguidos, amordaçados, presos, torturados e quase todos mortos. Dezenas de séculos de massacre, estupro, miscigenação. Em Lizarb não existe mais pureza e, sim, mestiçagem com classificação pela cor do verniz:
    • Branco = ouro;
    • Moreno = prata;
    • Pardo = bronze;
    • Preto = flandre.

Correm boatos que novos ataques estão acontecendo em Lizarb com mais violência e em nome do Criador do Mundo. Alul, um genuíno morador de Lizarb e autêntico defensor deste cantinho maravilhoso, diz:  “- a negrada  desconfia dessa história e acha que é conversa pra boi dormir”.  Olhando bem para frente, encara a multidão e diz sem ódio e sem medo:

    • A partir de hoje vamos consertar o que está errado aqui. Doravante a palavra Lizarb, em qualquer língua, passa a ser escrita com “S” e não com “Z”, conforme orienta nossa gramática;
    • A classificação odienta pela cor, deixa de existir. Todos passarão a ser OURO com iguais direitos e deveres;
    • As riquezas de Lisarb serão usadas para o bem-estar igualitário de todos;
    • Educação, Saúde, Habitação, Transporte e Alimentação farta para todos é prioridade em Lisarb;
    • Fechem-se Presídios e abram-se Escolas;
    • Tolerância zero a qualquer tipo de interveniência nos nossos destinos.

Espontaneamente formou-se um imenso jogral e essas frases ecoaram nos quatro quadrantes de Lisarb com “S” e nunca mais com “Z”.  O mundo inteiro ouviu e entendeu. Uns sorriam e pulavam de alegria; outros choravam e tremiam de medo.

Uma velhinha esquelética de tanto passar fome, subiu no galho de uma árvore seca e gritou bem alto: “- e onde está o que roubaram da gente? Quero tudo de volta”.

A multidão aplaudiu freneticamente com brados:

“Lisarb com “S”, nunca com “Z”;

“Lisarb com “S”, nunca com “Z”;

“Lisarb com “S”, nunca com “Z”

Na escola, brincando com um jogo de cata-letras, as crianças descobriram que as palavras Lisarb e Alul lidas de trás para frente formam as palavras BRASIL e LULA. Felizes com a descoberta, desenharam a Bandeira do Brasil bem grande com uma estrela vermelha no centro. Logo abaixo escreveram:

FELIZ NATAL PARA TODOS OS POVOS DO MUNDO !!!

Gilmar de Oliveira

Gilmar de Oliveira

Gilmar Oliveira é professor da Universidade Estadual do Ceará - UECE.

Mais do autor

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.