Lei Rouannet & a Brodway

Levantamento no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura feito por CartaCapital revela que 160 projetos tiveram autorização para captação, dentro do período de execução de 2016 a 2019. Desses, só 48 conseguiram sair do zero.

Apenas quatro empresas captaram 73% dos recursos por leis de incentivo

Essa desigualdade é colossal entre as campeãs. De cada 4 reais captados pela Lei Rouanet, três acabaram nos cofres de quatro empresas que arrecadaram junto à iniciativa privada 149 milhões de reais. A T4F é a número 1, captando 78 milhões. A empresa produziu os musicais Les Misérables, O Fantasma da Ópera, Mudança de Hábito, Wicked, Antes Tarde do Que Nunca e 2 Filhos de Francisco. Em seguida, três empresas disputam um distante segundo lugar: a Atelier de Cultura (captou 34 milhões de reais), que trouxe Billy Elliot, O Homem de La Mancha, Annie e A Noviça Rebelde, a IMM Live (23 milhões de reais), que produziu A Pequena Sereia, Cantando na Chuva e Sunset Boulevard, e a Musickeria (15 milhões de reais), com a série de espetáculos Bem Sertanejo.

Com exceção de 2 Filhos de Francisco e Bem Sertanejo, essas peças são produtos made in Broadway, de Nova York, ou West End, de Londres, as duas capitais mundiais do teatro musicado…

 

Trecho de matéria publicada por CARTA CAPITAL, de Eduardo Nunomura.

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.