Eu me faço escrita, eu me torno letra.

E, de repente, me vi apaixonada pelos teus olhos,

no dia em que vi o seu olhar e me vi também a te olhar.

E quando você me sorriu, ah, senti a vida transbordar…

Senti que, mesmo sem eu possuir asas,

posso contigo voar.

——

Eu não escrevo,

eu me deleito…

Deleito-me nas palavras,

nos pensamentos,

nos afagos que cada escrito

me traz e me faz.

Eu me faço escrita,

eu me torno letra.

Eu não escrevo,

eu me permito ser redigida.

——

Confinamento

É o fim,

enfim, pensei.

Findei-me.

Inundei-me.

Encontrei-me.

Mostrei-me.

Confiei, enfim.

Fiz-me início.

Ressigifiquei-me.

Tatiane Rodrigues

Tatiane Rodrigues, cursou Bacharelado em Geografia na Universidade Estadual do Ceará, não chegando a concluir, tendo sido também bolsista CNPq na época de graduação na UECE. Mãe de dois filhos, a espera de mais um, Tatiane ingressou na Aviação Civil, atualmente cursando Ciências Aeronáuticas, tem como hobby a leitura e a escrita.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.