ESQUECIDOS E DESLEMBRADOS

Lembrei-me de uma passagem de Umberto Eco, encontrada em um rico texto de entrevistas em dueto, por ele cometidas.

Dizia ele que para cinco textos retidos pela crítica e pela memória dos leitores, como bons, havia pelo menos um milhar de coisas reconhecidamente ruins.

Caprichoso e percuciente, dominado pela curiosidade erudita sobre obras esquecidas e desprezadas, Eco trabalhou sobre alguns destes textos ruins. Descobriu que não eram piores, alguns deles, do que escritos consagrados.

O que faz um texto bom parecer ruim e um escrito ruim, ser celebrado como bom?

Por que rejeitaríamos poemas nossos, curtidos como inspirados, por os considerarmos, “a posteriori”, ruins?

A qualidade da produção de um poema ou texto de ficção, contribui para o reconhecimento do talento do autor. Ou para levá-lo ao esquecimento das vaidades obsequiosas…

São, assim, por esses sortilégios contraditórios do talento, lembrados ou esquecidos, como apontava Otacílio Colares.

A esta categorização, adicionei os “deslembrados” nomeados entre artistas, poetas e escritores.

Deslembrados sãos os que caem em “deslembramento” intencional , falte-lhes ou lhes sobre talento literário.

O esquecimento intencional é próprio das vaidades das criaturas cultas que defendem a sua genialidade… até quando parecem criticá-las.

Sói acontecer, amplos e sábios são os julgamentos humanos, que o deslembramento tenha motivação religiosa ou ideológica.

Mas isso já é outra história…

Paulo Elpídio de Menezes Neto

Cientista político, exerceu o magistério na Universidade Federal do Ceará e participou da fundação da Faculdade de Ciências Sociais e Filosofia, em 1968, sendo o seu primeiro diretor. Foi pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação e reitor da UFC, no período de 1979/83. Exerceu os cargos de secretário da Educação Superior do Ministério da Educação, secretário da Educação do Estado do Ceará, secretário Nacional de Educação Básica e diretor do FNDE, do Ministério da Educação. Foi, por duas vezes, professor visitante da Universidade de Colônia, na Alemanha. É membro da Academia Brasileira de Educação. Tem vários livros publicados.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.