Emulação, por Weluilson Silva

Temos uma cultura de dizer que a vida do outro é mais interessante que a nossa, ou que por ele ser melhor em algum aspecto, nos tornamos inferiores. Com isso acabamos nos dedicando a conhecer a vida do outro, e deixamos de nos preocupar com a nossa própria vida. Nada mais que apenas inveja. Em muitos lugares podemos identificar pessoas que preferem “puxar o tapete” de alguém, que simplesmente descobrir seu próprio talento, que as diferenciam das outras pessoas. Invejam aquele reconhecimento que o outro obteve, e não buscam sua própria identidade pessoal, nem o reconhecimento por ela.

Conheço uma palavra que para algumas pessoas antes dessa leitura talvez fosse desconhecida, e isso o ajudará a ser uma pessoa melhor. “Emulação”, não tem nada a ver com “Emo”, aplicativo de computador ou coisa do tipo, mas a vontade de ser melhor que o próximo, seja para o crescimento pessoal ou profissional, e não por inveja ou relativo a isso. Como disse o filósofo, Aristóteles no livro A Retórica: “… assim, enquanto uns, através da emulação, se preparam para conseguir esses bens, outros, pelo contrário, através da inveja, impedem que o vizinho os consiga”. O que ele quis dizer, é que, para você ganhar, não precisa fazer com que o outro perca, mas preparar-se para merecer aquilo que quer.

Quando se vai à procura de emprego, em que a concorrência é de cem para um, não é o desejo que o outro perca que lhe fará conseguir o emprego, e sim o desejo de conquistar aquela vaga, sem que precise derrubar ninguém, apenas mostrando seu talento e o poder de persuadir o entrevistador.

Segundo o Dicionário Aurélio, emulação é o “sentimento que excita o zelo e a atividade para igualar ou exceder os outros no que é bom”. Você não precisa ser aquela pessoa que admira, mas pode ser melhor de um jeito diferente. Você é você, e é assim que as pessoas irão lhe reconhecer; pelas suas diferenças, sua identidade, e sua característica individual.

Nessas olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro, uma atleta americana (ginasta olímpica) em uma entrevista depois de conquistar ouro, falou: “Não sou o próximo Bolt ou Phelps. Sou a primeira Simone Biles”. E é assim que devemos agir, se inspirando nos bons, e nos tornando melhor que eles. Dizem que o aluno pode superar o seu mestre, então, por que não conquistar com esforço sem precisar derrubá-lo?

Crie um mundo melhor, você pode ser reconhecido por isso, pelas pessoas ou pelo próprio mundo que você criou, o importante é o reconhecimento. Assim como as empresas usam o marketing para se posicionarem no mercado, você também pode se posicionar com o marketing pessoal. Seja único. Talvez em um desses momentos você possa ter um “insight”, e criar uma tecnologia que salve a humanidade de alguma praga ou coisa do tipo, ou até venha a melhorar o meio de vida das pessoas.

“Emule” mais, e inveje menos, quem sabe assim você possa ser uma inspiração para os outros. Bill Gates, por exemplo, não era tão bom em matemática, mas queria apenas os melhores em sua equipe, pois sabia que assim iria aprender com eles. E mesmo assim Gates acabou por se tornar uma inspiração no empreendedorismo. A emulação é um sentimento empreendedor, e se você souber dominar isso; saberá administrar o seu talento, e sempre estará motivado a melhorá-lo. Com esse sentimento conseguirá crescer em todos os aspectos intelectuais, sem precisar colocar ninguém para trás.

Dê mais valor ao seu sentimento empreendedor, já que dizem que o empreendedorismo é a profissão do futuro. Pratique a emulação e seja o melhor da sua maneira, e se beneficie com isso, pois você é único.

Weluilson Silva

Publicitário, graduado em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) pela Fanor/Devry, Escritor amador/ Romancista (em processo de publicação). Mestrado Incompleto de Gestão de Marketing pelo Instituto Português de Administração em Marketing (IPAM).

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.