É indispensável um choque de capitalismo para reativar a economia, por Luis Eduardo Barros

A queda constante da inflação, no passado, seria um motivo de grande satisfação. Hoje, forçoso é reconhecer que é preocupante constatar que a queda da inflação não é por que os preços caíram devido aumento da produtividade nem por que os impostos diminuíram. A inflação vem caindo por causa da situação de total inanição da economia. Muitos estão diminuindo as compras por não terem mais emprego ou por terem a renda diminuída. Outros não estão comprando com medo de acabar o dinheiro que tem. E, uns poucos estão retardando as compras esperando as coisas ficarem piores ainda e poderem comprar mais barato. E esse estado das coisas é mais do que preocupante. É apavorante!

Baixar os juros da Selic, que antes seria uma decisão ousada, hoje é apenas fazer o óbvio. Cm a inflação beirando 4%, uma taxa de juros de 11,25% implica num juro real de 7,25%, quase o dobro da segunda maior taxa de juros real do mundo. Manter a Selic no patamar estratosférico que está é o mesmo de cortar o oxigênio de um paciente terminal. Precisamos de muito mais!

Entendo que, na situação atual, é indispensável um choque de capitalismo. Isto mesmo. Um capitalismo de verdade, que nunca foi praticado no Brasil. Isso implica numa política fiscal feita para viabilizar a geração de emprego e renda para a sociedade e não para sustentar um Estado sufocado por privilégios ilegítimos. Implica num sistema financeiro voltado para o financiamento da produção e consumo de forma a maximizar a renda da sociedade e não um sistema voltado exclusivamente para assegurar a renda dos detentores de capital. Outra característica do capitalismo de verdade é um marco regulatório que proteja os consumidores e facilite a vida dos produtores de bens e serviços.

Enquanto permanecermos no mercantilismo atual, com um sistema econômico meramente extrativista, baixar os juros prolonga a sobrevivência, mas já não é mais bastante para assegurar a recuperação da economia.

Luís Eduardo Fontenelle Barros

Luís Eduardo Fontenelle Barros

Economista e consultor empresarial.

Mais do autor

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.