Da Janela do Busão – Hadassa Cavalcante

Muitas são as minhas memórias andando de ônibus em Fortaleza, tantas histórias e tantas horas passadas dentro do coletivo me trazem uma reflexão sobre as experiências vividas no busão. Quando a gente é criança, andar de ônibus é como uma aventura, tem uma certa magia em passear pela cidade, olhando tudo através daqueles janelões enormes, que a gente nem repara se estamos feito sardinha enlatada ou se o passageiro em pé do seu lado esqueceu de passar desodorante. Aí a gente cresce e pegar ônibus se torna um martírio, perde a graça e todo o encanto que um dia nos envolveu.

Prestando atenção em quem entra no ônibus, reparo que quase todos procuram sentar perto da janela, como se fosse um lugar privilegiado, um refúgio do mundo externo. Enquanto uns apenas sentam, dormem, leem um livro, ouvem música, conversam, sem reparar que podem fazer daquele momento um grande tour por Fortaleza, eu, pelo contrário, não queria deixar a minha cidade passar despercebida, sempre procurei encarar as viagens de busão como uma oportunidade de conhecer melhor o lugar onde moro.

O problema é que a correria faz a gente se acostumar com o mesmo trajeto e as mesmas paisagens e parar de admirar a beleza dos prédios, das casinhas, das grandes avenidas e vielas. A gente enxerga mas não vê,  torna quase automático. Como eu não fugia à regra dos que queriam sentar ao lado da janela, pude ver de tudo um pouco através dela. Vi a praia, o centro, a favela e o bairro nobre. Vi pessoas andando apressadas, tristes, gargalhando, namorando. Vi homem gaiato soltando beijo pra mim, vi gente correndo atrás do ônibus e xingando o motorista que não parou. Vi o dia amanhecer e anoitecer na minha Fortaleza.

Através da janela lembro de observar as pessoas e imaginar como tinha sido o dia delas, onde moravam, pra onde iam, quais as suas histórias. Aprendi o nome das ruas, os caminhos para o meu destino, aprendi que a minha cidade tem desigualdade, mas nem assim ela deixa de ser bonita, interessante, uma nova descoberta a cada olhada pela janela no busão.

Hadassa Cavalcante

Graduada em Jornalismo, Mãe de dois, Vegetariana,Cristã.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.