Brasil na berlinda

Às vésperas do grande evento mundial, a Cúpula de Líderes sobre o Clima, o Brasil ganha os holofotes planetários. Mas ao contrário do que todos desejavam, esse destaque não se deve às boas práticas de preservação do meio ambiente, nem tampouco a implementação de técnicas sustentáveis, visando a redução dos gases do efeito estufa. Seu destaque deve-se justamente pelo fato do país está indo na contramão de tudo isso.

Atualmente o Brasil ocupa a cena mundial, sendo o país que mais comete crimes ambientais (isso sem mencionar os demais crimes) e cujo seu “líder”, não só concorda com tais crimes, como faz de tudo para que eles sejam “legalizados”. 

É explicito como Bolsonaro faz de tudo para intervir em prol dos interesses econômicos, passando por cima de leis ambientais, fazendo intervenções até mesmo em órgãos como IBAMA e a Polícia Federal, afim de afrouxar as fiscalizações; impedir multas e embargues de atividades que causam danos severos a Áreas de Proteção Ambiental; e o que dizer da “passada de pano” para o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles? Que havia sido pedido, por parte do chefe da PF do Amazonas, a abertura de investigação sobre sua atuação em crimes ambientais, e num passe de mágica, o governo simplesmente demite o delegado que havia feito o pedido de CPI.

Fazendo uma analogia bem grotesca. Se imaginássemos o Brasil em um concurso de miss, com certeza ganharíamos a faixa de Miss Desmatamento. Falando agora em números, para ilustrar melhor a situação desastrosa. Os dois primeiros anos do mandato de Jair Bolsonaro foram marcados por sucessivas altas no desmatamento. A taxa de perda florestal saltou de 7,5 mil km2, em 2018, para 10,1 mil km2 e 11,1 mil km2 em 2019 e 2020, respectivamente. Sendo os maiores valores desde 2008.

Mas não pensem que o Brasil só disparou no quesito desmatamento agora. Dados mostram que no governo de Lula e Dilma (ambos do PT), as taxas de desmatamento também dispararam. Portanto, Bolsonaro veio apenas dar procedimento à devastação já em curso.

O fato é que vivemos uma constante ameaça global. O meio ambiente nunca foi tão agredido como agora. O sistema capitalista tenta a todo custo, prolongar seus dias, usando como sacrifício as vidas humana e ambiental. Não nos iludamos com a Cúpula de Líderes sobre o Clima, pois o que pode sair de lá, são apenas medidas paliativas e só isso não resolverá a catástrofe a que estamos caminhando.

E falando em ameaça, temos um exemplo aqui no nosso Ceará, onde o Rio Choró está sendo ameaçado pelas atividades de carcinicultura, onde tal empreendimento, poderá trazer desastrosas consequências, tanto para a fauna e flora, como para as comunidades ribeirinhas do entorno dos municípios de Cascavel e Beberibe. Tal crime precisa ser barrado e isso só será possível com uma grande mobilização. A luta ambiental é uma luta de todos os habitantes deste planeta, pois trata-se de assegurar a manutenção da vida e garantir um futuro para as próximas gerações.

 

Por Dalila Martins

Dalila Martins

Dalila Martins

Maria Dalila Martins Leão é Eng. Agrônoma pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e atualmente é Mestranda em Agronomia/Fitotecnia pela mesma instituição. Amante da natureza e entusiasta na luta pela Emancipação Humana e Ambiental!

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.