Bolsonaro, Maia e Mourão

Texto postado no blog de Tales Faria em 18.02.

 

https://talesfaria.blogosfera.uol.com.br/2019/02/18/para-os-bolsonaros-rodrigo-maia-nao-perde-por-esperar/

 

Nem o presidente Jair Bolsonaro, nem seus filhos estão satisfeitos com o protagonismo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na política.

A ordem na família é deixar quieto por enquanto, até a reforma da Previdência ser aprovada na Câmara. Depois disso, a avaliação é que o governo não precisará tanto assim de Maia.

Passada a reforma da Previdência, será a hora de fortalecer duas figuras como contraponto ao presidente da Câmara: o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzonn.

Bolsonaro e seus filhos não gostaram nem um pouco de Rodrigo Maia ter se metido na briga entre o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro e o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

Maia defendeu publicamente a permanência do ministro, disse que Jair Bolsonaro estava por trás dos tuítes de seu filho e que isto poderia atrapalhar a votação da reforma previdenciária.

Para a família Bolsonaro, o presidente da Cãmara mostrou que pretende se imiscuir nas decisões do presidente da República, chefe do Poder Executivo.

Na prática, foi isso que ele reivindicou durante o governo Michel Temer. Não atendido como queria, lavou as mãos sobre o projeto de reforma da Previdência que o emedebista enviou ao Congresso.

Mas no momento, em meio à crise com Bebianno, a ordem é não mexer com Rodrigo Maia, nem provocar novas marolas. Se possível, até fazer manifestações de apreço, como o último tuit de Carlos Bolsonaro simpático ao vice-presidente, general Mourão.

Bolsonaro e os seus também estão com o vice na alça de mira. Mas isso é outra história.

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor