juliana-cardoso

Bater em professor é bater na Educação do País, afirma a vereadora Juliana Cardoso (PT)

A vereadora critica a ação dos policiais na manifestação dos professores no Paraná e defende a busca pelos direitos e qualidades dos profissionais da educação.

“Os professores estavam querendo saber sobre um projeto de lei que privatizava e tirava seus direitos. Eles então se organizaram para fazer o protesto, o que é legítimo. Um assessor ou quem quer que esteja no Palácio do Governo tem a ação de achar que professor tem de apanhar?

Não dá para um governador pensar que pode ir com a Polícia frontalmente, junto com a ROTA, entre outros, machucar os professores dessa forma. Acho que a questão é de sentar e tentar negociar, conversar com os professores. Bater em professor é bater na Educação do País, bater em professor é colocar em cheque a democracia.

Os professores do Paraná estavam organizados para buscar seus direitos, que não são diferentes dos professores do Estado de São Paulo que estão há 60 dias em greve. Hoje vivemos em um país democrático que nos dá o direito à greve. Este país nos dá o direito de buscar por políticas públicas. Então, falar que essa discussão é somente uma questão de aumento salarial, não é verdade. Os professores do Estado de São Paulo estão buscando a melhor qualidade da educação pública”.

Fonte: www.camara.sp.gov. br
Pronunciamento: 30 de Abril de 2015

Priscilla Ramos

Acadêmica em Comunicação Social - Jornalismo. Estagiária voluntária do Segunda Opinião. Educomunicadora e Produtora Cultural.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.