Vinícius de Moraes, o poetinha – por Marcos Abreu

Era uma vez um poeta, um boêmio, um amante da vida. Seu nome era Vinícius de Moraes, ou simplesmente Vinícius. Ele era conhecido por muitos como: ” o poetinha”, um apelido carinhoso que traduzia sua alma leve e suas palavras doces. Vinícius tinha uma paixão avassaladora pela vida. Amava tudo que ela tinha a lhe oferecer: as alegrias, as tristezas, as amizades, os amores, as saudades, para ele viver, era um constante mergulho no oceano de emoções, e ele sabia aproveitar cada onda que vinha em sua direção. com seu sorriso largo e seus olhos brilhantes, Vinícius encantava a todos ao seu redor.

Era mestre na arte de conquistar corações e mentes através de suas palavras, que fluíam como um rio desenfreado. Seus versos eram como a melodia de uma canção encantadora e envolvente, mas nem tudo que reluz é ouro e Vinícius também trazia consigo suas dores e angústias. Os amores não correspondidos, as noites em claro regadas de uísque, os rompimentos doloridos. Tudo isso era partilhado e transformado em poesia, como uma forma de catarse, de encontrar a cura para suas dores.

Vinícius era um verdadeiro artista, desprendido das amarras do cotidiano e do convencional. Sua vida era uma festa interminável, um eterno carnaval, regado a samba e bossa nova. Era nos bares e nas casas de amigos que ele se sentia em casa, encontrando inspiração nas conversas e na boêmia que permeava suas noites.

Acima de tudo, Vinícius era um amante; um amante da vida, da música, da poesia, das mulheres. Amava com uma intensidade que poucos são capazes de compreender. Cada frase escrita era um pedaço de seu coração exposto ao mundo, uma declaração de amor em forma de versos.

Assim, Vinícius de Moraes deixou sua marca no mundo, como um dos maiores poetas da música popular brasileira. As suas palavras atravessaram gerações e ainda hoje são declamadas e cantadas, fazendo ecoar sua alma sensível e apaixonada.

Vinícius viveu de corpo e alma, amou itensamente e escreveu como se fosse a última vez, sua crônica foi a vida, e suas páginas foram preenchidas com as cores vivas da alegria e com as tonalidades suaves da melancolia. E assim, na eternidade da poesia, Vinícius de Moraes permaneceu vivo, celebrando a vida e o amor através de suas eternas palavras.

Marcos Abreu

Poeta, Escritor, Declamador de Poesias, interprete do cancioneiro em MPB e outros gêneros; cronista, contista, romancista. Nascido em Fortaleza-Ceará é autor das seguintes obras: "Poesias de um Poeta Louco"(1995), " Nas Teias da Poesia" (1997)-Editora Passárgada- Pernambuco-Recife "Retalhos Poéticos" Poesia Livro-2000 Cordéis Publicados: " A Revolução Humana" publicado pela Fraternidade Arte e Cultura-2011 " O Rouxinol e a Rosa" Literatura Infantil- Editora Flor da Serra-2016 " A Coisificação da Sociedade na pós-modernidade" " Versos de Ouro" Fecomércio-Senac-Sesc-IPDC Antologias: Poetas da Praça do Ferreira-Editado Pela BSG-Bureau de Serviços Gráficos-Editor- Márcio Catunda-2018 "Amor Música e Poesia" Editor: Antonio Pompeu. Romances: " O Louco e o Estado-Expressão Gráfica-Fortaleza-2019-Edição e Prefácio-Dimas Macedo

Mais do autor

Marcos Abreu

Poeta, Escritor, Declamador de Poesias, interprete do cancioneiro em MPB e outros gêneros; cronista, contista, romancista. Nascido em Fortaleza-Ceará é autor das seguintes obras: "Poesias de um Poeta Louco"(1995), " Nas Teias da Poesia" (1997)-Editora Passárgada- Pernambuco-Recife "Retalhos Poéticos" Poesia Livro-2000 Cordéis Publicados: " A Revolução Humana" publicado pela Fraternidade Arte e Cultura-2011 " O Rouxinol e a Rosa" Literatura Infantil- Editora Flor da Serra-2016 " A Coisificação da Sociedade na pós-modernidade" " Versos de Ouro" Fecomércio-Senac-Sesc-IPDC Antologias: Poetas da Praça do Ferreira-Editado Pela BSG-Bureau de Serviços Gráficos-Editor- Márcio Catunda-2018 "Amor Música e Poesia" Editor: Antonio Pompeu. Romances: " O Louco e o Estado-Expressão Gráfica-Fortaleza-2019-Edição e Prefácio-Dimas Macedo