Arquivos em Tags: xykolu

MAZAGÃO-DE-BAIXO: RIO-SECO ou – Quem te faz SER-TÃO único: ELE ou ele? ou Redemoinho no meio da rua: – Xô-te, diancho! ou LagoAçude: rio reprimido?! por Francisco Luciano Gonçalves Moreira, Xykolu.

MAZAGÃO: HOMEM E SERTÃO!
ou
“… no Sertão (…) uma pedra de nascença entranha a alma.”
ou
Veredas: TÃO-SER, TÃO-GRANDE: homem!
ou
“Fazer no extremo, onde o risco começa.”
ou
Ah se Rosa tivesse florido cá!…
– …?
– Bem ali! (beiço inferior estirado, a indicar a direção).
E haja duas

EPÍSTOLA DE “SANTO” AÉCIO, O BOM MINEIRINHO, AOS DILETOS PARCEIROS “CAMARALTENSES”¹, por Francisco Luciano Gonçalves Moreira (Xykolu)

“Eu estava apto a redigir discursos para qualquer circunstância… […] Naquelas horas, ver minhas obras assinadas por estranhos me dava um prazer nervoso… não era o sujeito quem se apossava de minha escrita, era como se eu escrevesse no caderno