Arquivos em Tags: poesia

Sou filho do Ceará, por IAN FERMON

Eu sou Quixeramobim
Eu sou Orós, Iguatu
Eu sou Crato, eu sou Ipu
Sou Aquiraz, sou Fortim
Sou Cascavel, sou Jardim
Pacatuba, Tianguá
Sou Pacajus, Quixadá
Fortaleza, Acopiara
Sou Icó, Jaguaribara
Sou filho do Ceará.
Eu sou Maracanaú
Trairi, Itapipoca
Sou Sobral e Meruoca
Santana do Acaraú
Horizonte, Parambu
Aracoiaba, Tauá
Jaguaribe, Croatá
Redenção, Irauçuba
Quixelô, Russas, Guaiúba
Sou

Nossa Bandeira, por RENATO ÂNGELO

                                                                                          
A quem pertence
Oh! Leitor….
“Nosso” símbolo?
A nação posta em panos
Signo de nossa vergonha positivista
Põe a sujo os limpos panos…
 
O losango amarelo
Que descreve compasso e esquadro
Dos maçons a influência
Das tramas do pano
Ao pano das tramas
Da voz subterrânea
 
A faixa-lema
De Comte tomada, falta o

Desordem e Regresso, POR RENATO ÂNGELO

             Overture
Oh! Pátria, patética pátria!
Oh! Pátria, por quê faz-me rir?
Quem ou o quê poderá te redimir?
Se nem o acaso nem a razão te alumbrará
Teu futuro, pela crença, hás de remir
Eruditos papagaios como banquete ao Carcará
No terreno da razão
No árido arado

Estado de liberdade – Por RENATO ÂNGELO

Aquilo
Que não é dado
Que se conquista
Cara na pista
Tem que gritar
Ou ser artista
Viver na risca
É arriscar
 
Virtude
Que nos roubaram
Mas de repente
Quase dormente
É indigente
Tá descontente
A gente sente
Que é escravo
Ou ‘inda paga
P’ra trabalhar
 
E a luta
Agora é morta
A boca torta
Fecharam a porta
Na nossa cara
Você ainda
Paga

CIDADE EM CHAMAS, por Renato Ângelo

Chama, chama, chama…
Chama chamas!
Quem clama a chama
Chama aquele a quem o país conclama em chama
 
Tu chamas?
Quem chama quem clama?
A fama, chama é…
Chama a grana, chama vaidosas chamas
 
A cidade em chama, clama
A justiça em chamas
O juiz quer fama… trama
E enquanto o

Poesias e protopoemas de Pêdo de Lara, por Pedro Henrique

[fim da tarde]
tem pirâmide não,
bem,
tem prédio;
alto quiçó.
tão retângulo,
tão pastel;
mas tem o céu,
bonito quiçó.
o céu é azul,
é laranja,
branco cinza lilás.
tava tão radiante
o fim da tarde;
nem vi a noite chegar.
[mimimi]
i
estilhaço de bomba
no coração
insurgente.
urgente foi o dia
que te disse
não.
hoje nenhum trago
resolve
o que trago