Arquivos em Tags: literatura

Libélula

A morte, ela transforma.
Faz a carne voltar ao Verbo,
Todo sonho verter ao pó.
Faz da gente, que ficou pra contar história,
Do destino um pequeno detalhe,
Tola criança com medo de dormir só.
É atrevida, um agridoce desatino!
Deixa vinco fundo em página marcada,
Silêncio amargo

A ciência mais bonita de São João

Enquanto as sianinhas da saia de Zefa disputavam rodoró com o brilho incandescente das chuvinhas, o vento soprava na nossa cara, as faíscas da fogueira e o perfume Toque de Amor que Tica usara  para “enfeitiçar” o marido, recém chegado

FALTA-ME O AR

Quase 300 mil vidas
ceifadas de um último abraço
e sem que pudessem respirar seus lares
e sentir o amor borbulhante
…que pulsa no coração de quem fica
partiram rumo ao olimpo
para descansar os sorrisos que outrora nós fizeram sorrir e
valsar a música dos encantados..
fazendo