Senador Reguffe diz que impeachment de Dilma serviu apenas para pacificar o “mercado” e o Congresso, não as ruas

O senador Reguffe (DF) disse ser grave que autoridades utilizem os respectivos cargos para defender interesses privados, ao fazer menção aos pedidos de liberação da obra do prédio onde o ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, comprou um apartamento.

Segundo depoimento dado à Polícia Federal por Marcelo Calero, então ministro da Cultura, Geddel Vieira Lima o pressionou para que intercedesse junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para liberar a obra.

Como isso não aconteceu, a questão chegou ao conhecimento do presidente da República, segundo depoimento de Calero à Polícia Federal. Esse episódio culminou nos pedidos de demissão de Calero e de Geddel.

Para Reguffe, esse caso é grave e mostra que o impeachment da ex-presidente da República, Dilma Rousseff, serviu apenas para pacificar o mercado e o Congresso Nacional, mas não as ruas, que continuam insatisfeitas com esse tipo de prática.

Na opinião dele, o governo continua distribuindo cargos para manter apoio no Congresso Nacional e mantém as mesmas práticas que a sociedade já não admite, como a defesa dos interesses partidários, em detrimento do interesse dos contribuintes.

– Eu espero que o governo, porque ainda é tempo, endireite o seu rumo e pense na população e naquele que paga impostos. porque a forma como esse governo age hoje é a mesma forma dos governos de sempre, na velha política, no toma lá, dá cá, no fisiologismo. e não é isso o que a população espera de um governo – afirmou.

Agência Senado

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.