Raposa Acalmando Galinhas?! – By GILMAR DE OLIVEIRA

“Deus criou o mundo do nada”; aprendi estudando o catecismo aos 9 anos, quando era coroinha. Um “pop-up” sempre aparecia na minha mente com a pergunta: e por que uns têm terra para construir casas, cercar, cultivar e outros não? As três respostas mais comuns eram: herança, compra, troca.

Mais tarde, lá pelos 11 anos, estudando História, disseram-me que o Brasil havia sido descoberto em 1500, e eu tomei essa data como o início do mundo, tamanha era a inocência.

Na década de 60, assistindo a uma palestra de Dom Helder Câmara sobre os povos indígenas, ele contestou essa informação, afirmando que o Brasil havia sido roubado dos indígenas; os habitantes nativos que foram escravizados, sofrido todos os tipos de torturas e até proibidos de falar suas línguas.

Alfabetizando adultos pelo método Paulo Freire, perguntava aos operários que trabalhavam em olarias:

– Você faz o quê?

– Tijolo.

– O dono da olaria tem casa de tijolo?

– Tem.

– Você tem casa de tijolo?

– Não. Por quê?  …  ….  … .

Vejam bem, a palavra tijolo tem três pedaços:  TI – JO – LO. Escrevam.

Gostava de alfabetizar, mesmo correndo sérios riscos de vida, pois os donos de engenhos em Pernambuco nos perseguiam através dos jagunços.

Nessa caminhada libertária falei algumas vezes com Dom Helder Câmara e com Paulo Freire. Li a Pedagogia do Oprimido antes de sua publicação, mediante folhas mimeografadas. Participei de movimentos liderados por Julião, líder das Ligas Camponesas de Pernambuco, que costumava dizer algo mais ou menos assim: — eles não mentem quando me chamam de agitador porque eu realmente o sou. Agitar é tão necessário que os médicos quando prescrevem um remédio recomendam agitar antes de usar.

A forma como dizia isso era tão positivamente teatral e delirante que os aplausos só faltavam não parar.

Nessa época tive contato literário intenso com Marx, Engels, Trotskty, Politzer,  dentre outras figuras proeminentes. Fizeram-me enxergar que:

– o mundo tem mais de 25 bilhões de anos;

– a conquista da Paz é uma luta individual e diuturna, que pode ser exponencialmente maximizada através da organização das massas populares.

Enxerguei com clareza que as sociedades são divididas em estamentos sociais e que os mais fortes sempre dominaram os mais fracos.

Se você não acredita na honestidade da raposa acalmando as galinhas no galinheiro, não acredite igualmente na sinceridade do rico pedindo democracia.

Gilmar de Oliveira

Gilmar de Oliveira

Gilmar Oliveira é professor da Universidade Estadual do Ceará - UECE.

Mais do autor

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.