Pré-leitura do livro “Uma obra nova para um novo tempo”, do Padre João Wilkes

O AUTOR

João Wilkes Rebouças Chagas Júnior (ou apenas Padre João Wilkes), nascido em 1974, é sacerdote católico. Tem formação superior em Filosofia, concluiu Mestrado e Doutorado  em Teologia, com foco em Teologia Espiritual. Mora e trabalha em Roma, no Vaticano.

A PUBLICAÇÃO

O livro “Uma obra nova para um novo tempo – a espiritualidade da Comunidade Católica Shalom”, de autoria de João W. R. Chagas Júnior, foi lançado em 2009, pelas Edições Shalom, com 218 páginas.

CIRCUNSTÂNCIAS

Quando o Papa João Paulo II esteve em Fortaleza, em 1980, para o X Congresso Eucarístico Nacional, recebeu uma oferta da juventude local. A iniciativa partiu de uma sugestão do Cardeal Aloísio Lorscheider, que a transmitiu a dois jovens poucos dias antes da chegada do Papa. Este livro conta aspectos fundamentais dessa oferta, seu desenvolvimento inicial e seus desdobramentos nos primeiros vinte e sete anos (o livro cobre o período 1980-2007) da história da Comunidade Católica Shalom.

A IMPORTÂNCIA DO LIVRO

A Comunidade Católica Shalom é, como sugere o título do livro, uma obra nova para um novo tempo na mais difundida, mais praticada e mais prestigiosa religião cristã do mundo moderno. Seu nascimento, dizem os registros, ocorreu aos pés do carismático Papa João Paulo II, durante uma visita deste ao Brasil. Carisma, aliás, é palavra chave na obra.

O livro foi escrito com respeito ao rigor acadêmico (porque era também uma dissertação de mestrado) e foi avaliado e aprovado nas instâncias universitárias de pós-graduação. A par da religiosidade e da sólida base teórica, o autor mantém, com a alta qualidade da escrita, a atenção do leitor, o interesse no tema e seu desenvolvimento.

O LIVRO

O livro está estruturado em cinco capítulos centrais, antecedidos por uma esclarecedora introdução e por uma brevíssima informação sobre metodologia, seguidos de uma conclusão direta e aberta.

O autor começa dando uma visão panorâmica da realidade brasileira no início dos anos 1980, para, em seguida, fazer um relato sobre os primeiros momentos da Comunidade Shalom. Sua expansão e sua consolidação têm minucioso passo a passo, assim como também são apresentados seus princípios e valores.

O último dos capítulos centrais volta ao Shalom e o projeta na realidade mais global.

INSIGHTS

“… a comunidade de vida, coração da comunidade Shalom, assume o núcleo central da missão e a plenitude do carisma…

“…os membros da comunidade de aliança são aqueles que receberam um apelo a uma oferta de vida a Cristo em meio a atividades familiares e profissionais, assumindo viver segundo o espírito do carisma…

“…o caminho da paz consiste, na verdade, na contemplação (para receber a verdadeira paz de Jesus), na unidade (para encarnar a paz na nossa vida fraterna) e na evangelização (para anunciar o evangelho da paz aos homens)…

“ … os momentos de oração comunitária são vividos no louvor, adoração, intercessão e escuta do Senhor, na alegria, na comunhão e abertura para a ação do Espírito Santo…

“…no Sínodo dos Bispos sobre a Eucaristia, Moysés Azevedo disse que a comunidade Shalom, na sua experiência evangelizadora, descobriu que a melhor resposta ao desafio da secularização é apresentar Cristo com audácia.

“… A unidade, comunhão de amor com Deus e com os irmãos, dom do espírito, é outro elemento desse tripé sobre o qual se funda a vocação da Comunidade Católica Shalom.

IDEIAS CENTRAIS

“Em um mundo como o nosso, fortemente marcado pelo racismo e pelos mais diversos tipos de intolerância e conflitos, não estaria latente no povo brasileiro um potente espírito de universalidade, uma vocação ao testemunho de tolerância, integração e paz harmoniosa?

“Sim, a cruz foi plantada na história, no coração e na vida do povo brasileiro. Esta se faz presente de maneiras diversas, tornando-se muito concreta, por exemplo, na realidade de tanto setores marcados pela miséria,  no rosto de tantos pobres desta nação, onde se reflete Cristo, o servo de Javé.

“Diante da realidade de miséria que atinge milhões de pessoas na América Latina, os bispos reunidos em Puebla convidaram-nos justamente a uma ‘opção preferencial pelos pobres, não exclusiva nem excludente’. Também no Brasil há um enorme abismo entre ricos e pobres, e, por isso, a igreja neste país deveria ser a ‘igreja dos pobres’, diz João Paulo II em visita à Favela do Vidigal, no Rio de Janeiro.

“Alguns dias antes da chegada do Papa à capital do Ceará, o cardeal Lorscheider pede a dois jovens que apresentem uma oferta ao Santo Padre em nome de toda a juventude de Fortaleza, na missa que seria celebrada no estádio do Castelão. Motsés Azevedo Filho é um desses jovens. Eles decidem dar de presente seu compromisso de evangelizar os jovens, sobretudo os mais distantes de Cristo e da igreja, os mais sofridos, os mais necessitados.

“Nos estatutos de Shalom lemos que a fim de acolhermos em nossas vidas o dom da paz e comunicá-lo ao mundo, é necessário que sejamos instrumentos da consolação e da compaixão de Deus para aqueles que sofrem com a escassez do pão espiritual e material, através da evangelização, do serviço e da autêntica comunhão de bens.

“Em 1987 nasceu a Escola de Formação, que é o setor da Comunidade Católica Shalom que se responsabiliza pela formação doutrinária, bíblica, humana e carismática dos membros dos grupos de oração e dos líderes que fazem parte da Obra e daqueles que querem participar. Ela propõe uma catequese orgânica e sistemática com metodologia fortemente baseada na oração e na concretude da vivência cristã.

Osvaldo Euclides

Osvaldo Euclides de Araújo tem graduação em Economia e mestrado em Administração, foi gestor de empresas e professor universitário. É escritor e coordenador geral do Segunda Opinião.

Mais do autor

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.