Pré-leitura do livro MOSAICO – ideias e emoções, de Gilmar Oliveira

O AUTOR

Gilmar Oliveira é empresário-educador e consultor na área de comportamento, teve breve carreira militar e militância política.

A PUBLICAÇÃO

O livro “MOSAICO – Ideias e Emoções”, de autoria de Gilmar Oliveira, foi lançado em 2023, pela Premius Editora, com 282 páginas. Prefácio de Afonso J Oliveira Jr.

CIRCUNSTÂNCIAS

Ao longo de dois anos, Gilmar Oliveira postou num site de cultura e análise político-econômica escritos eventuais sobre sua trajetória pessoal e profissional. Os leitores atentos, diante da qualidade dos textos, logo perceberam a delicadeza e a riqueza de suas ideias e dos fragmentos de emoções, tudo tão simples quanto verdadeiro. Daí que surgiu a cobrança de juntar tudo em livro.

A IMPORTÂNCIA DO LIVRO

Gilmar Oliveira escreve como se conversasse no alpendre de uma casa caiada, numa noite fresca, sob o luar do sertão. A prosa é leve, flui e passeia por temas importantes, mas suavizados por um jeito muito especial de ver e viver a vida.

Gilmar também adentra a zona urbana, penetra assuntos graves, mas o texto continua no mesmo ritmo, no mesmo tom. Alguma dissonância, alguma tensão, só um leitor rigoroso perceberá, como quando ele expõe com força sua convicção política.

Há um imenso escritor dentro desta imensa figura humana. Mosaico é o aperitivo.

O LIVRO

O livro se estrutura em três grandes temas: política, comportamento e literatura. Os textos são breves, a linguagem é direta.

A orelha diz que o leitor pode entrar por qualquer parte do livro e andar por ele em qualquer direção. É verdade, como num passeio.

E para bem aproveitar a leitura, não se apresse. E abra os olhos, o coração e espaço na cabeceira.

CURTAS

“Todo ser humano é importante e tem uma história bonita que deve ser escrita. Leia a minha, eu quero ler a sua.

“Por que há guerras? Por que as crianças são felizes com nada e existem pessoas infelizes com tudo?

“A fé inabalável dos sertanejos é de arrepiar. Plantavam, a seca matava as plantações; plantavam novamente, a enchente levava; replantavam e colhiam com a força de suas orações.

“Contemplar as maravilhas ou futilidades externas é fácil. Ver as preciosidades que estão dentro é difícil. Treine olhar para dentro de você, é libertador.

“Abandone o status de pai ou de mãe. Nivele-se. A comunicação horizontal é amiga e estimulante.

“Entendo hoje que dentro de cada indivíduo mora um escritor. A expressão escrita é forte e libertadora.

BONS MOMENTOS

“Neste livro você encontrará fragmentos que expressam quem eu sou. Com uma gotícula de saliva, um perito descobre quem você é. Em Mosaico, você me encontrará inteiro, nu e sem máscaras.
Pensamentos e emoções verdadeiras de amor e saudade, indignação, medo, devoção e dor molham o teclado de lágrimas quando escrevo. O propósito único é buscar a felicidade e desfilar no tapete vermelho da alegria e de um mundo melhor.

“Um texto literário, de qualquer gênero, é um filho que você gera e cria…no coração e no cérebro… com prazer e dor…planejamento, disciplina e trabalho resiliente…às vezes imperceptível. É gerado no silêncio e nos recônditos do eu profundo.
O texto literário é o suprassumo dos neurônios, das sinapses, das crenças e valores de quem o escreve.
A exemplo de uma empresa, para existir, o texto literário é trabalhado nos níveis estratégico, tático e operacional, com dedicação exclusiva e amorosa do corpo, da mente, do coração e do espírito do seu autor…

“Nasci na zona rural e aprendi a colocar o chapéu ao alvorecer e só tirá-lo no ocaso. Os dias eram quentes como os fornos das casas de farinha ou da chapa dos fogões à lenha. Meu chapéu era minha casa ambulante, assim eu o considerava.
Cresci, minha família migrou para a cidade, viajei por muitos lugares e o chapéu sempre me acompanhou. Na minha mente, sua imagem é forte como um símbolo…

“Eu e Marluce
Cheios de idade
Em espaços vazios
Cheios de silêncio
Isolamento radical
Proteção máxima
Medo do céu
Sombras e luzes
Coração que afaga
União que acaricia
Um lado vê o fim
O outro, o começo
Comunicação terna
Comunhão telepática
Caminhar de mãos dadas
Pisar devagarinho
Evitar solavancos
Em nome da vida
E do amor…

“Sim, você interpretou corretamente! Sou professor, uma vida completamente dedicada à causa educacional. Casamento longevo, família harmônica, viagens, leituras, conversa com amigos…tudo isso gera combustível que faz a bolandeira da educação girar, produzindo riquezas e celebrando ainda timidamente as memórias de Paulo Freire, Vygotsky, Piaget, Emília Ferrero, Lauro de Oliveira Lima, dentre outros, contrariando frontalmente as maluquices dos que querem manipular o povo e amordaçar os educadores e os estudantes.

“… ele veio e olhou com uma lupa grande. O Jardim do Éden havia desaparecido, mas encontrou paz e bonança em corações grandes de mortais pequenos; sofrimento e escassez em corações pequenos de mortais grandes. Triste e cabisbaixo caminhou para o alto da montanha. As sandálias lhe pesavam nos pés. Sentou-se numa pedra, baixou a cabeça e chorou. Um holograma flutuava diante dos seus olhos, mostrando a desarmonia entre a Terra, o Fogo, o Ar e a Água…

Osvaldo Euclides de Araújo

Osvaldo Euclides de Araújo tem graduação em Economia e mestrado em Administração, foi gestor de empresas e professor universitário. É escritor e coordenador geral do Segunda Opinião.