Plenária histórica

A militância petista, advinda de 18 cidades do estado do Ceará, literalmente lotou a sede estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) na noite do último dia 13 de outubro, para realizar uma assembleia plenária focada em debater a Tese contida no “Manifesto Unidade pela Candidatura Própria ao Governo do Estado” (https://www.instagram.com/p/CUuin9vlW8E/), assinado por integrantes de uma grande variedade de forças políticas internas ao partido, lançado publicamente no dia 26 de setembro.

Pela afirmação de uma liderança histórica presente ao evento, “foi um momento de muita vitalidade, expressão de um PT vibrante, como há mais de uma década não se via no Ceará, pelo qual se pode perceber em todos os presentes um renovado sentimento de pertença partidária, em torno da ampla discussão realizada por suas bases nesta noite, visando à retomada do histórico protagonismo político petista, que foi subjugado nos últimos anos pela entrega do PT, por parte de algumas de suas lideranças, aos interesses políticos de Ciro Gomes e seus irmãos. Antes dessa coligação com os Ferreira Gomes, o PT detinha 30 prefeituras no Ceará; agora só temos 17. Como é que se pode regredir tanto assim, se o governo do estado está aparentemente em nossas mãos?”, sentenciou o petista.

A Mesa dos trabalhos da plenária foi coordenada pelo vice-presidente do Diretório estadual Jonas Dezidoro e pela jovem Naiene de Paulo Ferreira (Lua), coordenadora do Núcleo Popular. Integraram a Mesa: o deputado federal José Airton Cirilo; a deputada federal Luizianne Lins, representada na pessoa de Raimundo Nonato Lima Ângelo; o ex-vereador Deodato Ramalho; Wanderley Bezerra, presidente do diretório municipal de Cascavel; Vaumik Ribeiro, coordenador da Articulação Unidade na Luta; Eudes Baima, coordenador da corrente Diálogo e Ação Petista; Paulo Assunção, coordenador da Optei; Mariana Domingos, da coordenação de juventude de Pindoretama; Francemarie Teodósio, integrante do primeiro diretório estadual do PT Ceará; Ray Alcântara, diretor da União Brasileira dos Estudantes (UBES).

Das ações concretas da assembleia confirmadas por aclamação da plenária, constam:

  • Encaminhar ao Diretório Estadual documento exigindo a realização imediata de reuniões para a discussão em torno das eleições de 2022, da candidatura própria ao Governo do Estado e da definição dos coordenadores regionais da campanha de Lula à presidência do Brasil.
  • Realizar interlocução junto aos Diretórios Municipais para que promovam ampla discussão em torno das eleições de 2022 e da candidatura própria do Governo do Estado.
  • A exemplo do que ocorreu em Fortaleza, os signatários do Manifesto comprometem-se em elaborar calendário para a realização de assembleias plenárias abertas com a militância petista em microrregiões do estado para a discussão em torno da candidatura própria.
  • Fortalecer os encontros dos Setoriais no sentido de estudar e aprofundar as diversas áreas sociais, econômicas, políticas, culturais e ambientais para produzir um vasto documento com propostas para compor o Plano de Governo da Candidatura Própria do PT ao Governo do Estado.

Portanto, a cena política cearense, a partir da realização desta Plenária histórica, ganha em vitalidade e conteúdo, pela forte entrada da militância petista no debate das eleições de 2022, justamente num momento em que o ex-ministro do governo Lula, Ciro Gomes (PDT-CE), continua a disparar violentos impropérios e “fake news” contra Dilma Rousseff, o Partido dos Trabalhadores e o Presidente Lula. (https://revistaforum.com.br/redes-sociais/ataque-ciro-dilma-revolta-nas-redes/). Em resposta a Ciro, o presidente Lula alertou: “Quem planta vento, colhe tempestade”. Sinal de que o tempo pode ficar ainda mais carregado nos próximos meses?

 

 

Alexandre Aragão de Albuquerque

Mestre em Políticas Públicas e Sociedade (UECE). Especialista em Democracia Participativa e Movimentos Sociais (UFMG). Pesquisador do Grupo Democracia e Globalização (UECE/CNPQ). Autor dos livros: Juventude, Educação e Participação Política (Paco Editorial); Para entender o tempo presente (Paco Editorial); Uma escola de comunhão na liberdade (Paco Editorial); Fraternidade e Comunhão: motores da construção de um novo paradigma humano (Editora Casa Leiria) .

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.