O primeiro banqueiro a financiar as artes e bancar o mecenas

— Lourenzo de Médici sem dúvida amava as artes, mas o seu apoio aos artistas tinha o seu lado prático, do qual ele tinha bastante consciência. Naquela época, em Florença, a atividade bancária era talvez a forma menos admirada de se ganhar dinheiro, e certamente não era uma fonte respeitável de poder. As artes estavam no polo extremo, o da transcendência quase religiosa. Gastando com as artes, Lourenzo diluiu as opiniões do povo sobre a feia origem de sua fortuna, disfarçando-se na nobreza.

(Trecho de livro As 48 leis do poder, de Robert Greene)

Osvaldo Euclides

Osvaldo Euclides de Araújo tem graduação em Economia e mestrado em Administração, foi gestor de empresas e professor universitário. É escritor e coordenador geral do Segunda Opinião.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.