O Artífice

– Ó quão desassemelhado és tu
do que me faz suspirar.
Meus versos brancos e livres,
cantam o perfumado amor.
Eu desejei por dez vezes,
o estéril filho do deserto.
O destemido escriba,
dos enredos nefastos.
Cessei de querer-te,
quando com destreza,
sitiastes minha luz!
Cantemos ao sol amarelo
que fez apagar do sonho,
o artífice falsário dos bonitos contos!

Marta Pinheiro

Marta Pinheiro

Poetisa, natural de Fortaleza, Ceará. Desde pequena demonstrou grande interesse pela literatura, aos 9 anos de idade fez seus primeiros rascunhos. Autora de contos e poesias que retratam cenas cotidianas. Atua como produtora cultural. Foi uma das fundadoras do Bloco Carnavalesco Hospício Cultural e uma das idealizadoras do projeto Sarau Casa de Poesia, iniciado em 2015 juntamente com a poetisa Carol Capasso. Teve dois de seus poemas publicados na antologia poética “ Flor de Resistência” organizado pelos escritores Ricardo Kelmer e Alan Mendonça. Seu livro de estréia é “Engenho de Dentro”, em processo de finalização.

Mais do autor

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.