Governador autoriza matar

Da Carta Capital:

“…No último dia 18, a Uneafro Brasil, movimento de defesa de direitos humanos para a população negra e periférica, protocolou junto à Casa Civil do Governo do Estado de SP, um pedido com base na lei de acesso à informação, questionando as declarações do governador João Doria (PSDB), acerca de suas declarações ao SP2, da Rede Globo, em 11 de janeiro. O tucano afirmou em transmissão ao vivo que “a partir de agora, em São Paulo, imobilização do bandido que estiver armado, se ele ainda assim reagir, ele não vai para a delegacia, nem para a prisão, ele vai para o cemitério”.

A correspondência, que também é destinada à Secretaria de Segurança Pública e ao Ministério Público, exige a retratação de Doria que, segundo o movimento, “estaria orientando os policiais a aplicarem a partir de seu próprio julgamento a lei capital (pena de morte), descumprindo assim cláusula pétrea da Constituição, em flagrante descumprimento da lei.” Ainda segundo o documento, o governador estaria abolindo a prática da doutrina do Método Giraldi, que orienta policiais em caso de confronto, atirarem em partes não letais do corpo do suspeito sempre com a preocupação da garantia da vida.

Segundo Valdênia Paulino, professora e ex-ouvidora de polícia do Estado da Paraíba, quando o governador diz que a ordem é “levar ao cemitério” ele está subestimando os policiais, que estudaram, se preparam e tiveram treinamento para agirem de forma inteligente e rápida para deter o criminoso. “Se realmente proceder esse discurso, teremos uma preocupação ainda maior, não somente com os jovens da periferia, mas com os próprios agentes da segurança pública. Um policial sai de sua casa para promover a segurança, e não se tornar um assassino”, diz a mestra em Direito Social….”

 

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor