Estou

Sinto

Paixões arrebatadoras
Percussões internas
Fecho os olhos e sinto
Cheiro o silêncio
Sinto a enchente de palavras não ditas

Minha pele arrepia com o sussurro do vento
Sinto

Fecho os olhos e vejo as cores da música
Imagino as pessoas que dançam, mesmo sentadas.

Suas cores dançam ao seu redor
Sinto

Vejo lenços ditando o som da respiração
Ouço o dedilhar que nunca tocou em um violão e é cheio de ritmo.
Sinto a música guiando o cantarolar e o pensamento

O pensamento sente
Fica pesado, leve, voa e enraíza.

É rígido em um corpo flexível. Talvez o tal equilíbrio pra fazer valer o tanto q sinto.
Uma rigidez que trinca os dentes para que o sentir não saia por aí voando e sentindo. Se apaixonando, caindo, chorando e levantando.

Sinto

E agora as letras dançam, também coloridas, e, como as pessoas sentadas com cores sem saber que são coloridas, elas se colorem juntas.

Contam histórias e aliviam a dor. Sentem.

EU sinto.

As lágrimas fazem caminhos e colorem também.
Elas têm cheiro de mar. Por isso são salgadas?

Como em oração, ao sentir, só peço:
Aliviai minha dor.

Jessika Sampaio

Curiosa, tagarela, viajante, feminista, caótica e contraditória. Ignorante sobre quase tudo e em constante aprendizado sobre o vazio da existência. Além de ser bicho humano, já atuei como jornalista, radialista, assessora de imprensa e de comunicação, coordenadora de comunicação e em lutas ambientais e LGBTQIA+. Em processo de aceitação da escritora que grita aqui dentro.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.