Cruz de Souza: a voz da resistência

Há tempos em que as palavras ganham vida própria, ecoando pelos séculos como símbolos eternos da luta por igualdade e liberdade. E um dos nomes que ressoa com força nesse cenário é o de Cruz de Souza. Poeta negro, escritor e jornalista, ele se tornou uma das principais vozes da resistência em um período marcado pela opressão racial e social.

Nascido em 1861, em Santa Catarina, Cruz de Souza viveu em um mundo onde a cor da pele determinava o destino e as oportunidades de uma pessoa. Desde cedo, ele foi obrigado a lidar com o preconceito e a discriminação, enfrentando barreiras que pareciam intransponíveis. Mas, ao invés de se entregar ao desespero, ele transformou sua dor em poesia.

Cruz de Souza encontrou na escrita a única forma de expressão que lhe era permitida. Seus versos traziam consigo a súplica por liberdade, um grito de revolta diante das injustiças que presenciava. Em suas obras, ele retratava a luta e a esperança, a angústia e a perseverança dos negros e dos marginalizados. Cada estrofe era um manifesto contra a opressão, uma fagulha de esperança que incendiava os corações daqueles que se viam refletidos em suas palavras.

Mas a vida de Cruz de Souza não foi marcada apenas pela poesia. Ele também se dedicou ao jornalismo, utilizando a imprensa como ferramenta de denúncia e conscientização. Seus artigos e crônicas eram incisivos e diretos, expondo as injustiças sociais e raciais que permeavam a sociedade da época. Como um farol em meio à escuridão, ele iluminava a realidade oculta, dando voz àqueles que eram silenciados pelo sistema.

A obra de Cruz de Souza, por sua vez, transcendeu o tempo. Suas palavras ecoam ainda hoje, lembrando-nos da importância de lutar por um mundo mais justo e igualitário. Ele é um dos pilares do movimento negro no Brasil, um símbolo de resistência e de superação. Sua obra é um alerta para que não nos esqueçamos de nosso passado e dos obstáculos que ainda precisamos enfrentar.

Na cruz das palavras de Cruz de Souza, encontramos não apenas um poeta, mas um guerreiro. Ele enfrentou a opressão de frente, recusando-se a ser apenas mais uma vítima do sistema. E, com sua voz potente, ele nos lembra que é possível lutar contra as injustiças e, mesmo em meio às trevas, encontrar a luz que nos guia para a liberdade.

Que a memória de Cruz de Souza siga viva em cada verso escrito, em cada luta pela igualdade e em cada sonho que se torna realidade. Que ele seja sempre um exemplo de coragem e resistência, inspirando gerações a jamais abaixarem a cabeça diante da adversidade. E que, assim como ele, possamos transformar nossa dor em poesia, traçando nosso caminho rumo à liberdade.

Marcos Abreu, é poeta e escritor brasileiro.

Fortaleza, 01/02/2024

Marcos Abreu

Poeta, Escritor, Declamador de Poesias, interprete do cancioneiro em MPB e outros gêneros; cronista, contista, romancista. Nascido em Fortaleza-Ceará é autor das seguintes obras: "Poesias de um Poeta Louco"(1995), " Nas Teias da Poesia" (1997)-Editora Passárgada- Pernambuco-Recife "Retalhos Poéticos" Poesia Livro-2000 Cordéis Publicados: " A Revolução Humana" publicado pela Fraternidade Arte e Cultura-2011 " O Rouxinol e a Rosa" Literatura Infantil- Editora Flor da Serra-2016 " A Coisificação da Sociedade na pós-modernidade" " Versos de Ouro" Fecomércio-Senac-Sesc-IPDC Antologias: Poetas da Praça do Ferreira-Editado Pela BSG-Bureau de Serviços Gráficos-Editor- Márcio Catunda-2018 "Amor Música e Poesia" Editor: Antonio Pompeu. Romances: " O Louco e o Estado-Expressão Gráfica-Fortaleza-2019-Edição e Prefácio-Dimas Macedo

Mais do autor

Marcos Abreu

Poeta, Escritor, Declamador de Poesias, interprete do cancioneiro em MPB e outros gêneros; cronista, contista, romancista. Nascido em Fortaleza-Ceará é autor das seguintes obras: "Poesias de um Poeta Louco"(1995), " Nas Teias da Poesia" (1997)-Editora Passárgada- Pernambuco-Recife "Retalhos Poéticos" Poesia Livro-2000 Cordéis Publicados: " A Revolução Humana" publicado pela Fraternidade Arte e Cultura-2011 " O Rouxinol e a Rosa" Literatura Infantil- Editora Flor da Serra-2016 " A Coisificação da Sociedade na pós-modernidade" " Versos de Ouro" Fecomércio-Senac-Sesc-IPDC Antologias: Poetas da Praça do Ferreira-Editado Pela BSG-Bureau de Serviços Gráficos-Editor- Márcio Catunda-2018 "Amor Música e Poesia" Editor: Antonio Pompeu. Romances: " O Louco e o Estado-Expressão Gráfica-Fortaleza-2019-Edição e Prefácio-Dimas Macedo