Críticas a Bolsonaro são infundadas, não passam de versões, hipóteses e ‘fake news’, diz senador do PODE

O senador José Medeiros (PODE-MT) acusou a oposição de se basear em versões, hipóteses e até fake news para atacar o futuro governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Em pronunciamento nesta segunda-feira (12) em Plenário, Medeiros disse que os oposicionistas estão “com pressa demais” para criticar uma administração que ainda nem começou.

Medeiros apresentou exemplos de situações nas quais as críticas oposicionistas se mostraram descabidas, na sua opinião, ainda no governo Temer. Seria o caso da reforma trabalhista, que para ele não provocou os prejuízos ao trabalhador anunciados pela oposição.

— [A oposição dizia] que o trabalhador não iria ter mais 30 dias de férias. Isso se concretizou? Não. Que o trabalhador não iria ter mais décimo terceiro. Isso se concretizou? Não. Que o trabalhador não iria ter mais direito a Fundo de Garantia. Isso se concretizou? Não. Então, nada dessas mentiras se concretizou, mas você pode perguntar para qualquer trabalhador, que ele estava assustadíssimo, falando: ‘Tiraram direitos dos trabalhadores’ — afirmou o senador.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

1 comentário

  1. J. Cícero Costa

    A reforma trabalhista “não provocou os prejuízos ao trabalhador anunciados pela oposição”… MAS TAMBÉM NÃO PRODUZIU OS EFEITOS QUE SEUS DEFENSORES PROMETIAM, OU SEJA, NÃO GEROU OS EMPREGOS ESPERADOS NEM MELHOROU AS RELAÇÕES ENTRE CAPITAL E TRABALHO. E ao contrário do que foi prometido, a reforma trabalhista resultou mesmo foi na precarização das relações de trabalho, com redução do salário e aumento do trabalho intermitente, temporário e terceirizado.